Alguns e-mails por nós recebidos: 

Estas mensagens são relacionadas ao site:  www.caldas.com.br/30anos

Tudo começou com a minha cinquentinha. Yamaha YF5 50cc - ano de fabricação 1969. Praça do Cruzeiro - Goiania - GO.
 

From: "Rodrigo Lima"
To: ricardorochalima@msn.com
Date: Fri, 10 Jun 2005 16:30:45 +0000
Subject: Carta ao Grande Mestre das Motos

Olá meu grande amigo Ricardo Rocha, sabe que agora sou seu fã nº 1, de carteirinha. Depois daquelas dicas quentíssimas da Strada fiquei anida mais cuidadoso com minha motoca. Estou com algumas dúvidas sobre outros detalhes, e nada melhor do que um grade mestre como você para me orientar. Alguns amigos meus, quando saem para algum encotro de motociclistas costumam colocar no tanque de gasolina algumas bolinhas de naftalina e alegam que enrriquece a mistura e a moto rende mais. Mas será que não prejudica a moto? já ouvi falar que com o tempo pode até fundir o  motor.

  Já que estou falando com um mestre das motos, gostaria de saber o que vc acha, em termos gerais, da moto NX 4 Falcon, estou querendo torcar minha moto, para poder viajar melhor.  Um grande amigo meu também pede sua sugestão, ele acabou de trocar sua Twister 250 cc em uma Shadow 600cc, e esto super empoldado, por isso pede algumas dicas sobre ela, tipo: conservação, manutenção, equipamentos, etc...

  Meu caro amigo, a galera do Moto Amigos manda um forte abraço pra você, seu site está de parabéns. Adorei você ter colocado meu e-mail na sua página.   Obrigado   Rodrigo Lima (Araguari-MG)

---xx---

Ola Rodrigo

Obrigado por estar visitando frequentemente nosso site, e por tê-lo indicado para seus amigos.

A NX 4 Falcon é uma excelente moto, e certamente lhe dara muito mais condiçoes de viajar.  Por ser uma moto trail ela é muito versatil.

Se voce quer colocar algum aditivo na gasolina durante as viagens eu recomendaria o BARDHAL Top Oil.  Coloque o produto na proporcao recomendada, ele enriquece a gasolina proporcionando melhor lubrificacao e funcionamento das partes altas do motor, especialmente das valvulas.  MAS EU AINDA SOU DA OPINIAO que se voce usar uma gasolina aditivada, de boa procedência e tendo sua moto abastecida em posto de gasolina ''honesto'' e idoneo nao é necessario usar aditivo.

Quanto as dicas para a Shadow nao tenho nenhuma específica, é uma excelente moto custom e existem inúmeros equipamentos no mercado para ela.  Diga para o seu amigo entrar na Internet no procurador Google ( www.google.com.br ) e procurar ''equipamentos e acessorios para Honda Shadow'', ou mesmo olhar nas revistas motociclisticas.  Adicionalmente ele deve visitar alguma revenda Honda ai em Araguari ou mesmo Uberlandia.

Um forte abraco.

Ricardo C. da Rocha Lima
35 Anos de Motociclismo
www.caldas.com.br/30anos
 


Em 05/06/05, Jose Abreu escreveu:

Olá Ricardo,

Navegando pelo seu site, tive a oportunidade de rever uma Honda 250 - importada - ano 1974. Lembrei-me então que aprendi a andar de moto nessas máquinas ( meu irmaõ mais velho possuia uma XL 125 1974 e depois uma 250, também 1974.)

Será que ainda encontro essas motos? Sabe de alguém que esteja interessado em vender.

 Obrigado.

José Flávio
Belo Horizonte

---xx---

Ola José Flávio

Nao tenho conhecimento de alguem que queira vender uma moto destas. Eu ja estou residindo fora do Brasil ha dois anos e meio.  De qualquer forma ai no Brasil comece pesquisando pelo site
www.motosantigas.com.br , pois o mesmo mostra muitas Yamahas e Hondas dos anos 70, e algumas estao a venda.  Veja tambem em www.motosclassicas70.com.br .

Outra alternativa seria comprar nos EUA ou Canada, ou ate mesmo em algum pais da Europa.  Mas ai teria a complicacao para legalizar a importacao para o Brasil.

Boa sorte na sua pesquisa.

Ricardo C. da Rocha Lima
35 Anos de Motociclismo
 


From: losalcantara
To: ricardorochalima@msn.com
Subject: Twister
Date: Wed, 1 Jun 2005 12:10:50 -0300

Olá, a cerca de 01 mês encontrei o seu site por acaso, e foi muito legal, pq pude conferir suas aventuras e tambem as dicas de como usar bem minha moto, parabens, vou repassar o seu site para amigos que tbm tem motos, e são como a gente apaixonado por elas.

Moro em Goiânia, nasci aqui e a minha dúvida e luta começou exatamente qdo tive acesso ao seu site, e pude conferir que em suas viagens sua CBX 250 fez até 30 Km por Ltro de gasolina, ja a minha moto faz no máximo 21 km por Litro e nao mais do que isso, qdo comprei ela (a 01 ano atraz)o vendedor me falou que ela faria de 25 à 28 Km por lts, um mecânico amigo meu já me deu algumas dicas de como pilotar com segurança e ate já trocou o "Jiclesinho" do carburador para fazer teste mais nao adiantou, eu nao gosto de exigir muito da minha moto, sou meio careta e nao curto andar em alta velocidade, tenho um carinho especial com as motos que ja possui, e a Twister e a realização de um sonho meu, gosto de aproveitar cada segundo qdo estou
pilotando, então acho q não seja pelo fato de exigir muito o motor. Bem amigão vc tem alguma dica pq nao consigo atingir essa km, e as pessoas q tem Twister dizem que faz 21 Km por lt e outras 30 Km por lt, porque sera que a minha consome tanto? já perdi muitas noites de sonho pensando nisso(risos) como faço?

desde ja grato,

Alexsander Diniz

---xx---

Ola Alexsander

Obrigado por ter acessado o site, e por ter gostado do mesmo.

Veja bem: eu consegui varias vezes fazer ate 33 km/litro na minha Twister (em rodovias, andando na ''manha'' e mantendo a velocidade-cruzeiro em torno dos 100/110 km por hora). Na cidade fazia tranquilo em torno de 30 km/litro.

Leia com atencao todas as dicas que repasso nas paginas da Twister, junto com outras dicas existentes na pagina: http://www.caldas.com.br/30anos/anos902.htm , e use o bom senso.

CADA PEQUENO DETALHE eh muito importante no desempenho e performance da moto: coroa/corrente/pinhao em bom estado, corrente lubrificada e tensionada na medida certa; pneus calibrados na calibragem recomendada e com nitrogenio; oleo do motor com boa viscosidade; troca de marchas no giro certo (use o seu ouvido e o bom senso); moto limpa e encerada (pode parecer besteira, mas nao eh, pois a moto limpa funciona a uma temperatura menor, e a pintura encerada possibilita menos atrito com o vento). Somando cada pequeno ganho em cada pequeno detalhe voce tera um bom resultado final. VAI DEPENDER MUITO TAMBEM DE COMO A SUA MOTO FOI AMACIADA, veja pagina: http://www.caldas.com.br/30anos/anos804.htm .

Outra coisa: em transito urbano ao parar em sinaleiros nao fique acelerando a moto desnecessariamente, tenha o motor funcionando na marcha lenta recomendada pela fabrica, nao freie forte ao parar, possibilite que o motor tenha sempre uma subida de giros uniforme e uma desaceleracao tambem uniforme, sem sobressaltos. Eh isto ai!

Um forte abraco e boa sorte para voce.

Ricardo C. da Rocha Lima
35 Anos de Motociclismo


From : Rodrigo Lima
Sent : Wednesday, May 25, 2005 5:16 PM
To : ricardorochalima@msn.com


Olá caro colega de roda Ricardo

Sou Rodrigo Lima, um fanático por motos e encontros de motociclistas. Quero lhe dar os parabéns pelo seu site e seu trabalho é maravilhoso. Vejo que vc tem uma grande experiência com motos por isso ser sócio de carteirinha do seu site e vou passar pra todos os meus amigos, parceiros de roda. Tenho uma Strada 98, super conservado, atualmente com 36 mil Km, e gosto muito dela. Gostaria de tirar algumas dúvidas com vc. Pelo que vejo com as pessoas que tem stradas, tanto a minha quanto as outras o escapamento está sempre apodrecendo no final, ele geralmente dura somente um ano e meio no máximo, tanto original quanto paralelo. O que será que acontece? Gostaria também de saber se aqueles escapamentos modelos esportivos duram mais, roncar, aluminium, etc..., Eu ño momento não estou viajando muito, só estou na cidade, mas quando pego rodovia minha moto está amarrada nos 120, no máximo 130Km/h. Tem gente que fala que elas dão até 150km/h,será verdade? O que posso fazer pra melhorar a sua velocidade final? ah, me esclarece também, de quanto em quanto tempo é bom fazer revisões gerais. E sem Querer abusar, aproveita e me fala qual é o giro ideal pra estar regulando a lenta dela, a minha está girando em torno dos 1300 à 1500 + ou -.
Mano velho, obrigado por tudo, e mais uma vez parabéns pelo sou site.

Até a próxima

---xx---

Ola Rodrigo

Vamos por partes: em primeiro lugar muito obrigado pelos elogios ao site. A sua visita ao mesmo, e a de todos a quem voce o indicar eh muito benvinda, agradeco mesmo.

Eu deveria ter tido o mesmo cuidado em ter guardado todos os detalhes sobre a CBX 200 Strada, como eu o fiz com a C-100 Dream e com a Twister. Como nao o fiz, vou buscar na minha memoria todos os dados para responder as suas perguntas.

Escapamentos: certamente voce deve morar numa cidade litoranea, ou se nao for o caso o local onde voce guarda a sua moto tem muita umidade. Eu sugeriria a voce apos lavar a sua moto, enxugar bem o escapamento, e usar Brasso (polidor de metais) para o polimento do mesmo. Bater um pouco de WD-40 dentro da parte final do escapamento tambem ajuda. Logicamente um escapamento de aluminio tambem duraria mais. Fique atento tambem ao fato de que se voce usa capa plastica para cobrir a moto, esta mesma capa pode estar protejendo a moto da chuva e sereno, mas ao mesmo tempo pode estar retendo a umidade dentro da mesma.

Velocidade final da Strada / motor amarrado: este eh o mesmo sintoma que eu enfrentei na minha Strada. Ela foi amaciada em rodovias, fiz tudo meticulosamente bem feito em todos os detalhes, mas ela nunca teve um motor elastico como as outras Hondas que eu ja tive. Esta eh uma caracteristica do motor da Strada - confira no link: www.caldas.com.br/30anos/alguns_emails.htm . Nao acredite muito em tudo o que lhe dizem, principalmente quanto a velocidade final da Strada; ela se situa em torno da velocidade que voce esta conseguindo para sua moto. Para melhora-la um pouco voce poderia trocar a relacao coroa x pinhao, mas eu particularmente acho que nao compensa.

Revisoes gerais: depende muito de como voce roda na moto, se so em asfalto, se mais em transito urbano, etc. Se voce for cuidadoso, creio eu que uma revisao geral a cada 10.000 km estara bom.

Giro ideal da marcha lenta: se nao me falha a memoria o giro da marcha lenta dela se situa em torno de 1.300 rpm. Experimente baixar a marcha lenta para 1.100 rpm e veja se o motor nao fica morrendo. Se nao ficar, ok. Isto tambem varia um pouco de moto para moto, e ate mesmo de acordo com as condicoes atmosfericas.

Espero ter esclarecido as suas duvidas. Um forte abraco.

Ricardo C. da Rocha Lima
35 Anos de Motociclismo


From: daltonras
To: ricardorochalima@msn.com
Subject: Strada cbx200
Date: Wed, 18 May 2005 16:05:03 -0300

Olá,

Após pesquisar muito na Internet, posso dizer com a maior certeza que o seu
site é o melhor de todos, pois esclarece dúvidas que nenhum outro o faz.

Tenho uma CBX 200 strada ano 2000 e não consigo nenhum site que fale mais
sobre ela. Gostaria de informações com calibragem dos pneus, duração do
conjunto de relação, cuidados especiais, consumo e etc. Como não possuo o
manual, espero que vc possa me ajudar.

Fraternalmente
Dalton Rezende

-----xx-----

Ola Dalton

Obigado pelas palavras elogiosas ao site. Acho bom que ele esteja sendo útil para voce.

A CBX Strada é uma boa moto, mas com algumas pequenas falhas que não foram corrigidas pela Honda. Mesmo porque, a meu ver, ela foi um modelo intermediário que a Honda lançou, já prevendo o posterior lancamento da CBX 250 Twister - que diga-se de passagem é completamente diferente da Strada, em todos os sentidos.

Assim sendo fique atento para o seguinte: o conjunto corrente, coroa e pinhão (a relação da moto) deve ser bem mantido, principalmente pela rotineira lavagem da corrente com querosene, lubrificação e ajuste da folga da corrente. A suspensão dianteira deve ser mantida tendo especial atenção para o óleo das bengalas (quantidade correta e óleo apropriado - revendas Honda); pois a mesma tem a tendencia a ''bater'' no curso final, principalmente se voce andar em estradas de terra, ou ruas esburacadas.

Se nao me falha a memória eu usava em torno de 30 libras na calibragem dos pneus (acho que 28 na dianteira, e 30 na traseira), confirme em uma revenda Honda, ou cheque voce mesmo no adesivo que normalmente vem colado na capa protetora da corrente.

O motor nao é muito elástico na sua performance, pois na realidade ele teve a sua cilindrada ''majorada'' para 200cc com o intuito de diferenciá-lo das 125cc. Quanto ao consumo varia muito em funcao do peso do piloto, e do estilo de pilotagem de cada um. Creio que na estrada ela devera fazer em torno de 33/35 km/litro, e na cidade (andando manso) em torno de 30/32 km/litro.

De qualquer forma, no meu caso especifico, foi uma boa moto que tive. Eu a adquiri 0 km e rodei 12.000 kms - principalmente em rodovias - sem problema algum e sem nenhum aborrecimento. E a vendi em estado de nova. E sem querer ser tendencioso: Honda é Honda.

Aproveite a sua moto e boa sorte.

Um grande abraço.

Ricardo C. da Rocha Lima
35 Anos de Motociclismo


From: "Planimec Ltda."
To: ricardorochalima@msn.com
Subject: A Twister é uma moto confiável
Date: Fri, 13 May 2005 06:40:46 -0300

Caro Amigo:

Acabei de comprar uma TWISTER 0 Km (hoje é 13/05/2005).  Ainda estou fazendo moto-escola, ou seja, nem cheguei a andar com minha moto. Está na gararem da minha casa, atrás do meu carro. Acho o design da Twister muito bonito e por ser uma moto 250, optei pela mesma.

Acontece que o instrutor da moto escola que estou frequentando só "meteu pau" na Twister, na 150 e outros modelos. Segundo ele, o motor da Twister se "entrega" após os 4.000 Km.

Gostaria de saber se isto tem algum fundamento.

Muito obrigado.
Márcio

---xx---

Ola Marcio

Obrigado por nos ter escrito. MUITO CUIDADO com o seu instrutor da moto-escola pois ele esta lhe transmitindo uma opiniao totalmente infundada.

Considere que ele esta fazendo isto por alguns motivos a considerar: ou porque esta com inveja da moto que voce adquiriu, ou porque NAO ENTENDE NADA DE MOTOCICLETAS, ou porque NAO ENTENDE NADA DE MECANICA.

Acesse novamente o nosso site e leia com muita atencao as varias paginas e detalhes que la coloquei sobre a Twister ( www.caldas.com.br/30anos/atwister.htm ), fique atento aos procedimentos e cuidados que la descrevo, e BOA SORTE! Tenha a certeza de que voce adquiriu uma EXCELENTE motocicleta, em todos os sentidos possiveis.

Um forte abraco.

Ricardo C. da Rocha Lima
35 Anos de Motociclismo

---xx---

From : Planimec Ltda.
Sent : Friday, May 13, 2005 1:55 PM
To : "Ricardo C. da Rocha Lima" <ricardorochalima@msn.com>
Subject : Re: A Twister é uma moto confiável

Ricardo:

Obrigado pela presteza de sua resposta. Não imaginas que alívio tu me passas neste momento. Na
realidade, quando comecei a pensar em comprar a Twister (já achava ela muito legal), fui procurar na Internet informações sobre a mesma.

Achei vários sites, várias informações. O site que dava detalhes de forma mais amigável e clara para ler foi justamente o teu, o que contribuiu, inclusive, para minha escolha.

Obrigado novamente.

Márcio


From: Sanderson Bastos de Holanda
To: ricardorochalima@msn.com
Subject: Site legal....
Date: Tue, 10 May 2005 01:06:33 -0300 (ART)

Ola meu caro amigo!
Logo que comprei minha primeira moto CG125Titan ano 2001 em 2002, comecei a me intereçar pelo o motociclismo.

Procurei varios sites do assunto e encontrei o seu que na minha opinião é o melhor!
Com a titã viajei para vários pontos do estado de São Paulo e fui notando minhas nescessidades em uma moto adequada. Comprei essa motinha por ter ótima aceitação no mercado como garantia de revenda para futuras aventuras e por que eu era nota "0" em experiencia prática.A primeira vez que a montei..rsss tremi e andei uns trez quarteirões quando sai da revenda da Honda só na marcha 1 com panico do transito e medo.

Fiquei um aninho com ela, peguei com 11mil K e devolvi com 15mil rodados.
Com meus 93kg e muita sede de estrada notei que nescesitava de uma maior. Eu adimirava muito as CBs. Eram bem famosas em minha infancia.
Adimiro seu desenho e motor. Acho um maximo tambem quem possui uma moto antiga, seja qualquer uma, com mais de 15 anos e a mantém conservada.

Eu sempre passava nas lojas de revenda pra ver alguma novidade de CB ou outra coisa.
Em 2003 achei no jornal uma 450 azul ano 89 dizia ele seminova com 28.500k original! Nessa época eu estava louco pra te mandar um primeiro email como esse agora pra que vc me orientasse, pois de moto nada entendo e eu poderia ser enganado em negócios desvantajosos.Existe muita gente experta!

Não mendei o email porque estava sem pc , perdi o endereço do site e tbm acho que nesse periodo eu não te encontraria no país, talvez..
Mas fechei o negócio com a CB...4.000,00r$ e o cara foi muito simpatico, pai de familia e deixou que eu, antes, a levasse para uma revisão em qualquer oficina de minha escolha.

Ela tava empoeirada e com teia de aranhas nos ráios da roda. Depois de uma geral mandei lavar e nossa, é uma moto super 10. Todos perguntam na rua se vendo! Hoje ela estou muito feliz com ela e seus ja 45.000 K rodados.Nesse periodo surgiram manutençoes e probleminhas que eu sem experiencia fui tropessando mas tudo está ok. Minhas viagens com ela são inesqueciveis. Acho que meu apego com ela não me deixará eu passar ela pra frente e experimentar novas aventuras!

Obrigado, um abraço
Sanderson 27 anos Ribeirão Preto-sp

---xx---

Ola Sanderson

Muito obrigado pelas palavras elogiosas ao site. Fico feliz em saber que voce gostou dele, e que o mesmo serviu de orientacao para voce.

Pois e, a CB 450 eh uma otima moto; e quando bem cuidada da muita satisfacao ao motociclista que a pilota. Ela eh muito confortavel em viagens, e tem um design que hoje em dia ja eh considerado classico.

Espero que voce continue aproveitando bem a sua CB, e que continue fazendo otimas viagens na mesma.

Um forte abraco.

Ricardo C. da Rocha Lima
35 Anos de Motociclismo


From: André Viza
To: <ricardorochalima@msn.com>
Subject: Fw: TWISTER 2005 PRATA
Date: Sat, 26 Mar 2005 23:50:55 -0300

OLÁ, RICARDO. GOSTEI MUITO DO SITE Q. VC. FEZ EM RELAÇÃO À TWISTER.
GOSTARIA DE SABER COMO VC. FAZ PARA CALCULAR A MÉDIA DE KM/LITRO ( DE CONSUMO) DE GASOLINA. C/ A TORNEIRINHA DE GASOLINA NA POSIÇÃO NORMAL, QDO O COMBUSTÍVEL CHEGA EM CERTO NÍVEL A MOTO ENGASGA E PERDE RESERVA; ENTÃO PASSO A TORNEIRINHA PARA A POSIÇÃO RESERVA; EXATAMENTE NESTE MOMENTO, QTO DE COMBUSTÍVEL AINDA HÁ NO TANQUE? DESSE QUANTUM QUE FICOU ( QUE SEGUNDO O MANUAL SERIAM 2,5L, QTO O PESCADOR CONSEGUE EFETIVAMENTE CAPTAR E CONSUMIR? PARA FAZER A MÉDIA DE CONSUMO, NO NOVO ABASTECIMENTO VC. PEDE AO FRENTISTA PARA INTERRMPER O ABASTECIMENTO EM QUE ESTÁGIO? ATÉ RENTE AO COPINHO? OU MANDA ENCHER ATÉ O TALO? EM 21/03/05 ENCHI O MEU TANQUE C/ 17L DE ADITIVADA, APÓS RODAR 450 KMS ENTRE RODOVIAS EXPRESSAS E PERÍMETRO URBANO;ESTÁ C/ 1500KM RODADOS E JÁ FIZ A REVISÃO DOS 1000KMS. GOSTARIA Q. VC. ME TIRASSE ESTAS DÚVIDAS. UM ABRAÇO E PARABÉNS PELO SITE.VIDE FOTO EM ANEXO.

---xx---

Ola Andre

Muito obrigado por ter escrito para nos, e por ter gostado de nosso site.

Veja bem: com a minha Twister eu percebi que a gasolina deixava de ser ''pescada'' quando ainda existiam uns 3,5 litros de gasolina no tanque - leia com atencao as Observacoes Importantes no final da pagina http://www.caldas.com.br/30anos/atwister.htm . La da para voce ver que ao rodar 392 km (comecando com o tanque cheio ate no inicio do gargalo) a moto entrou na reserva; parei num posto de gasolina de imediato e enchi o tanque novamente com quatorze litros, entao: com quatorze litros rodei 392 quilometros, eh so fazer a divisao - 392/14=28 km por litro, nao eh mesmo? E assim por diante...

Ou seja: comece com o tanque cheio ate o gargalo (sempre complete o tanque com muito cuidado e paciencia, para nao transbordar e danificar a pintura); zere o odometro parcial; e ande a quilometragem que desejar. Suponhamos que voce rodou 300 km apos ter completado o tanque - esta eh a quilometragem que o seu odometro parcial lhe mostrou. Complete o tanque, suponhamos que couberam 10 litros de gasolina, entao: 300/10=30 km por litro, entendido?

Nunca rode em transito urbano ou rodovias confiando na gasolina restante na reserva. O fato de a reserva ter dois litros e meio NAO SIGNIFICA que toda esta gasolina vai ser ''pescada'' pela bomba de gasolina para alimentar o carburador. ISTO VARIA ATE MESMO DE MOTO PARA MOTO, DO MESMO MODELO. Depende da posicao de montagem do mecanismo dentro do tanque de combustivel, e assim por diante. ENTAO NAO CONFIE EM ANDAR NO ''CHEIRO'' COMO DIZEM POR AI. Tenha sempre combustivel de sobra para os trajetos que pretende fazer.

Alem do mais com o tempo, pequenos residuos existentes na gasolina vao se depositando no fundo do tanque, e ao voce usar sempre a reserva a bomba de gasolina pode sugar estes residuos para a carburacao ocasionando falhas no funcionamento do motor, podendo ate mesmo com o tempo danifica-lo.

Um forte abraco

Ricardo C. da Rocha Lima
35 Anos de Motociclismo
 


From: Welliton Saulo da Costa
To: ricardorochalima@msn.com
Subject: caldas.com.br
Date: Wed, 9 Feb 2005 15:11:18 -0300 (ART)

Caro Ricardo,

Acessei teu site e simplismente devorei todo o assunto que lá está publicado.
Acabei de adquirir uma twister e quero amaciar o motor de maneira a alcançar suas façanhas.
Para isso, gostaria de algumas dicas tuas a respeito da melhor maneira para amaciar o motor da twister.

Aguardo teu retorno,
um abraço.
Welliton

---xx---
 

Ola Welliton

Obrigado por ter acessado e gostado de nosso site. Todas as dicas de amaciamento das motos estao no link: http://www.caldas.com.br/30anos/anos804.htm , o resto e usar o bom senso. As informacoes contidas nas paginas da Twister somam-se a estas especificas, ok?

Espero que voce aproveite bastante a Twister. Boa sorte!

Um forte abraco

Ricardo C. da Rocha LIma
ricardorochalima@msn.com


From: "Ricardo Cavalcanti Mendonca"
To: <ricardorochalima@msn.com>
Subject: Motos
Date: Wed, 5 Jan 2005 09:05:20 -0300

Bom dia,

Caro "chara" li a sua história em cima de 2 rodas e fiquei emocionado pois tenho 43 anos e sempre gostei de motos, pois meu pai tinha lambreta quando eu era bem pequeno e nos meados dos anos 70 (residia em Niteroi- RJ) comecei a andar efetivamente de moto, as vezes fico sem moto (não por muito tempo) mas busco até hoje sempre ter uma. Atualmente estou com uma twister
2004 (com 1200Km) apesar de ser uma moto 250 (pequena) é muito boa estou gostando bastante. A maior parte dos meus amigos (SP) possuem motos custom de grande porte (a maioria tem HD) e já fiz pequenas viagens com ela tranquilamente, o pior é só a questão da diferença entre as motos, pois quando entramos em cidades pequenas, vira um desfile de HDs e eu lá no meio com uma twisterzinha de resto vai tranquilo.

Ainda matenho na casa de minha mãe uma coleção da revista 2 rodas do final dos anos 70 e inicio dos 80. há !! a primeira moto foi uma honda cb 125 ano 1975, era show, comprada em 1978.

Um abraço,

Ricardo

---xx----

Meu caro chara

Obrigado pelo elogio ao site. Quando eu o coloquei no ar, ha seis anos atras o fiz com a conviccao de que a minha historia se identificaria com a de muitos outros que sao apaixonados por motos e pelo motociclismo, como eu sou. Eu tambem fico eventualmente, e por absoluta necessidade, sem moto por algum tempo como e o caso agora. A educacao dos filhos, mudanca de paises, e algumas prioridades da vida me forcam a tal. Mas fico ''contrariado'', se assim podemos dizer por nao estar montado numa moto.

Da Twister tenho as melhores lembrancas possiveis. Foi uma moto marcante para mim. Como eu mesmo mencionei no meu site, ela sera no futuro um grande classico da Honda, tenho certeza disto. O meu ''faro'' para identificar uma boa moto nao falha.

Eu tambem fui leitor da revista Duas Rodas, desde que ela foi lancada. Comprava todos os numeros, infelizmente minhas inumeras mudancas de cidades, estados e paises me obrigaram a me desfazer das mesmas. Eu tenho 53 anos de idade, mas viro um adolescente quando o assunto e moto. Sou literalmente APAIXONADO por motos.

Neste ano de 2005 estou completando meus 35 Anos de Motociclismo. Pretendo comprar uma moto, no maximo ate a metade do ano, para comemorar em grande estilo. Para mim a cilindrada da moto nao faz e nunca fez diferenca, se tem duas rodas e motor para mim ja e moto. Logicamente quando a gente pode ter uma moto maior e bom.

Assim que eu adquirir a moto que pretendo e reiniciar minhas aventuras em duas rodas eu o comunicarei, ok? Farei isto com todos aqueles que me tem mandado e-mails nestes ultimos anos. Pretendo fazer algumas aventuras, que serao por todos compartilhadas. Aventuras reais para mim, e virtuais para todos aqueles que acessam o meu site.

Um forte abraco

Ricardo C. da Rocha Lima
35 Anos de Motociclismo
ricardorochalima@msn.com


Ricardo

Parabéns pela maneira simples e emocionante como colocou suas vivências no site !

Tive contato com sua página em julho de 2004 e sempre visito-a.
Adquiri uma motocicleta Biz em julho e até hoje me pergunto de uma viagem entre BH e Varginha aonde vive minha namorada.
Compartilho de todas as suas opiniões quando a Dream e sei o quanto é necessário que se enxerge a versatilidade destas motos  menores como veículos !
Parabéns, pois seu trabalho ficou realmente bacana !
 
Renzo Radicchi
Belo Horizonte - MG
 

 

From: "Themeron"
Subject: Magnífico site sobre motocilismo o seu!!!
Date: Thu, 23 Dec 2004 23:04:31 -0300

Sr. Ricardo,

Sou Rocha também, mas não sei ao certo de onde meu bisavô veio de Portugal com o sobrenome.

Achei de extremo bom gosto seu site, sem poder deixar de ler todas as páginas, assim que comecei!!
Narrativa leve e empolgante, que me fez lembrar também fatos de minha infância (nasci em 1964).
Foi uma viagem no tempo e na história do motociclismo. Sem deixar de ser uma interessante biografia de sua pessoa.
Aproveitei para 'copiar' algumas dicas que devo utilizar em breve viagem em janeiro com a esposa (será a primeira sobre uma moto), até a algum lugar do litoral (resido em Salto/SP).
Por vez a internet nos prega esse 'susto' de achar material de excelente qualidade, que nos envolve por horas e faz acreditar mais no ser humano!

Feliz Natal e ficaremos no aguardo de novas histórias.

Atenciosamente,

Rubem Rocha

---xx---

Ola Rubem

Obrigado pelos elogios ao site. Desejo tambem a voce e familia um Feliz Natal, e um Ano Novo de alegrias. Boa sorte na sua viagem de Janeiro, e nas outras que se seguirao. Viaje com atencao e cuidado, e desfrute de tudo aquilo que uma viagem de moto pode nos oferecer.

Assim que eu iniciar as minhas novas aventuras em 2005 - que sera o ano em que comemoro 35 Anos de Motociclismo - comunico a voce.

Um forte abraco

Ricardo C. da Rocha Lima
34 Anos de Motociclismo
ricardorochalima@msn.com
 


From: "Daniel Campos Dantonio"
To: ricardorochalima@msn.com
Subject: Twister
Date: Mon, 15 Nov 2004 20:43:37 -0200

Olá Ricardo,

"Achei" seu site, por acaso, durante uma pesquisa a respeito da Twister. Estou decidindo se compro uma, ou não, e seu relato vai contar muito nesta decisão.

Meu nome é Daniel, estou com 29 anos e estou planejando voltar às motos. Iniciei minha vida em 2 rodas relativamente cedo. Com 12 anos tinha uma Mobylete e com 15 (até hoje não sei como isso aconteceu) uma RD350. Tive minha última moto aos 17, uma DT180, com a qual fiquei até os 19, quando a mesma foi roubada.

Após ficar sem minha DT, desisti de moto por trauma do roubo e, principalmente, por ter sofrido diversoso acidentes (apenas dois mais sérios) devido à uma conduta sempre irresponsável. Só voltaria a pilotar uma moto quando tivesse "responsabilidade" suficiente para tal.

Dos 19 aos 29 muita coisa mudou em minha vida, resumindo: Sai da casa de meus pais, me formei, casei, trabalhei no mercado financeiro até os 27, quando entrei para Polícia Federal, como Agente Federal. Na minha atual profissão, aprendi a calcular riscos (reais) e a decidir quais vale a pena assumir e quais não, já que me exponho à eles frequentemente. Notei diferença até na
maneira como guio meu carro e decidi que é chegada a hora de retornar às motos... Ainda continuo meio preocupado com a possibilidade de roubo.

Meu objetivo é era uma Shadow 600cc, mas, como ela esta fora de alcance, no momento, tenho a intenção de recomeçar com a Twister. Uma moto muito bonita e, pelo que li em seu site, uma excelente escolha.

Gostei muito do seu site. É bom tomar contato com a histórias de pessoas que como eu, são aficcionadas por moto e fazem disto um estilo de vida. Não tenho a experiência de estrada que vc tem, mas pretendo mudar isto nos anos futuros... valeu as dicas de viagens e, se não for abusar, gostaria de saber se vc tem alguns links relacionados com dicas para viagens e segurança na
estrada (como os problemas com óleo na pista e animas, etc, como vc descreve em seu site)! Espero que vc possa retornar breve às estradas do Brasil.


Abraços

Daniel
Agente de Polícia Federal

---xx---

Meu caro Daniel

Em primeiro lugar muito obrigado por ter acessado o nosso site, e por ele ter sido util para voce. Sempre fico muito satisfeito quando pessoas como voce me dao este tipo de retorno, pois para mim e uma satisfacao poder ter algo a transmitir a alguem sobre motos e motociclismo.

Eu nao conheco nenhum site que cuide especificamente de seguranca e de viagens ao mesmo tempo. Geralmente os motociclistas ao narrarem as suas viagens descrevem os fatos, sem se preocuparem em ''tirarem conclusoes''. No meu caso eu tentei passar informacoes, decorrente de minha grande experiencia em estradas/viagens, de maneira que as mesmas fossem faceis de serem assimiladas e que fossem uteis.

De qualquer forma vou listar a seguir um site extremamente util, pois o mesmo indica uma boa relacao de sites uteis e interessantes, acesse: Links & Sites Carros & Motos ( http://www.lksites.com/carros/carros.html ); onde voce vai encontrar inumeros links sobre motos, viagens de moto, carros, etc.

Espero que voce desfrute bastante da Twister, e que goste da moto como foi o meu caso. No proximo ano eu estarei completando os meus Trinta e Cinco Anos de Motociclismo; estou planejando comprar uma moto classica e realizar algumas viagens, assim vou atualizar o meu site e incluir nele as novas aventuras que estou planejando. Quando isto acontecer eu o aviso, ok?

Um forte abraco

Ricardo C. da Rocha Lima
34 Anos de Motociclismo


To: ricardorochalima@msn.com
Subject: Curiosidades
Date: Tue, 5 Oct 2004 22:41:11 -0300

SSa., Ba. 06/10/04

Caro amigo Ricardo

Estou sempre lendo os email que a turma te manda, e fico curioso em saber claro se você me permitir em saber.
1 -Como vão seus pais e sua avó;
2 - quando voltas ao Brasil, para que possamos fazer uma festa e um grande encontro de motociclistas e podermos reverênciar a sua pessoa com grande Sábio que és.
Quero dizer-lhe que todos nós que navegamos pelo site 30 anos, acabamos em nos tornarmos seus eternos fãs, pois ficamos maravilhados com a sua experiência em todos estes anos, é muita Historia e das Boas..ficarei feliz se algum dia poder me responder.

Forte Abraço e muita saúde, paz e felicidade, que o Nosso Pai Deus o Proteja e que lhe dê a graça de realizações dos seu mais profundos Sonhos e Desejos.


Jeferson Scofield

---xx---

Caro Jeferson

Meus pais vao muito bem, obrigado. Meu pai completara 80 anos de idade em Novembro, e minha mae tem 77 anos de idade.
Minha avo materna, que morava em Belo Horizonte, faleceu no ano passado poucos meses antes de completar 103 anos de idade.

Ainda nao sei quando voltarei ao Brasil. Pretendo ainda realizar algumas viagens de moto aqui pela Europa - num roteiro ao
qual eu ja ''batizei'' previamente de Roteiro Uniao Europeia. Todas estas viagens serao transformadas em paginas, e
divulgadas no meu site. Tenho uma honra e uma satisfacao muito grande, em fazer de todos as minhas aventuras de moto.

Tenho um especial apreco por aqueles, que com uma moto pequena e com dificuldade para vencer obstaculos de toda natureza,
ate mesmo os financeiros, conseguem ir realizando os seus sonhos. Os meus foram de certa forma assim realizados.

Aguarde para um futuro nao muito longiquo um evento que pretendo realizar em Goiania, de cunho internacional, onde pretendo
reunir todos aqueles que sao apaixonados por motos e pelo motociclismo.

Que Deus o proteja e o abencoe, e tambem lhe proporcione felicidades e bons momentos em sua vida.

Um abraco

Ricardo C. da Rocha Lima
34 Anos de Motociclismo

----xx----

To: ricardorochalima@msn.com
Subject: Orientação e outros
Date: Tue, 5 Oct 2004 22:19:43 -0300

Salvador - Ba., 06 de Outubro de 2004.

Caro amigo Ricardo Lima


Sempre que posso estou navegando no seu site, e uma coisa me chamou atenção, quando você se refere na foto" eu e o saudoso amigo Luís Sérgio Machula" a minha curiosidade é com relação a palavra"saudoso" no que se refere?

Outra coisa que preciso é que você me ajude com relação a informções sobre a Honda Estrada 200cc - CBX, pois tenho uma a qual foi do meu Irmão esta estar com 16.000 Km originais, e estou pretendendo ir para o encontro motofast em Aracaju no mês de novembro dia 13 e 14, eu ficaria muito grato qualquer informação mais profunda, pois o meu irmão colocou um pneu traseiro de CB
450, tipo Biscoito e qdo eu acelero e passo de 80 km ela rebola um pouco isto em asfalfo seco, molhado já não ocorre , fico pensando se também não o meu peso, pois peso 168 Kg.
Já regulei a mola pra capacidade máxima, será que não seria o caso de troca a suspensão substituindo por uma de moto de Grande Cilindrada?

Aguardo ansioso.

Um forte abraço e antecipadamente agradeço-lhe

Do seu Amigo.

Jeferson Scofield

---xx---

Caro Jeferson

O saudoso usado para o amigo Luis Sergio Machula e para dizer que ele ja se foi. Ele faleceu vitima de um desastre de carro na BR-101, em Santa Catarina, ja ha alguns anos.

Eu o aconselharia a trocar o pneu da sua CBX 200 Strada, para a medida original. Coloque o maximo de calibragem para a medida do pneu, e use nitrogenio ao inves de ar comum. O nitrogenio aquece menos que o ar comum, e mais estavel, e permite economia de pneus pois os mesmos se aquecem menos, e mantem a calibragem por mais tempo.

Sera que os amortecedores traseiros de sua moto poderiam ser trocados pelos da CB-400? Procure saber a respeito, ok?

Quanto a viagem em si e so tomar cuidado com o transito das rodovias por onde passar, e respeitar os limites da moto e os seus proprios limites.

No mais lhe desejo boa sorte, e uma boa viagem para o evento de Aracaju.

Um forte abraco

Ricardo C. da Rocha Lima
34 Anos de Motociclismo


From: "GTA Tecnica"
Subject: como amaciar a moto
Date: Fri, 1 Oct 2004 12:21:23 -0300

OLÀ Ricardo

Meu nome é marcio , tenho uma cbx 200 strada 2002, já tive uma CG 125 85 , e uma titam 125 2000, ambas consequi estourar a parte de cima do motor, vc poderia me dar uma dica de como faço para amaciar bem o motor , para minha moto ter um bom desempenho e durabilidade??
 

Até o motor da strada eu consequi estourar a minha moto está com 15600km rodados vc poderia me ajudar,tenho medo de andar devagar agora que foi feito o motor da minha moto, pois acho que talvez irá andar muito pouco depois e ai pode me dar uma dica??????????

Marcio - Garuva SC

---xx---
 

Ola Marcio

Certamente voce conseguiu estourar os motores de suas motos por uma simples razao: ou por desconhecer do assunto (com todo o respeito), ou por voce ter sido mal informado de como proceder corretamente.

Pelo que percebi no seu e-mail voce reside em Garuva - SC, nao e mesmo? Entao, caso voce transite muito por estradas de terra e fundamental que voce limpe sempre o filtro de ar da moto, e que realize a troca de oleo do motor com mais frequencia do que se voce andasse so no asfalto. Este e o primeiro detalhe.

Em segundo lugar, mas nao menos importante, e fundamental que voce observe a faixa de giros apropriada para cada marcha. Todas as dicas de como amaciar o motor de suas motos, estao na nossa pagina: http://www.caldas.com.br/30anos/anos804.htm , de uma olhada la com bastante atencao. Dentre outras sugestoes la eu digo: ''não deixe o motor trabalhar "frouxo" nem tampouco "esgoelado", é o seu ouvido que lhe dirá o que é certo''.

Esta dica, bem como as outras la existentes - em conjunto - e que lhe darao como resultado um motor amaciado corretamente.

O fato de voce andar devagar durante o perido de amaciamento e posteriormente o motor ficar com pouca ''elasticidade'' de giro, ou ''preso'' e um mito. Melhor explicando: voce pode e deve andar devagar, logicamente respeitando o giro do motor (rpm) e a marcha utilizada. Cada marcha tem a faixa de giros recomendada pelo fabricante, o que deve ser respeitado principalmente durante os primeiros 1.500 kms rodados (quilometragem geralmente recomendada pela maioria dos fabricantes).

Todas as minhas motos eu amaciei respeitando os limites, nunca ''estourei'' um motor e as minhas motos nunca ficaram ''frouxas'', muito pelo contrario, sempre tiveram um desempenho superior as outras de mesmo ano/modelo/marca, alem de serem mais economicas que as similares a elas.

Espero ter contribuido com algumas informacoes uteis para voce.

Um forte abraco

Ricardo C. da Rocha Lima
34 Anos de Motociclismo


From: Rafaela Corrêa Akkari
To: ricardorochalima@msn.com
Subject: Motos
Date: Thu, 30 Sep 2004 16:04:25 -0300 (ART)

Oi Ricardo, como vai?

Bom... eu entrei no seu site e vi que você é a pessoa que eu procurava pelo amor que tem por motos.

Deixe-me te explicar.

Eu estou produzindo um programa de televisão sobre motos....Chama-se Moto show....
Procurando pessoas que falassem sobre motos clássicas e que fossem apaixonados por ela encontrei você.

Gostaria de saber se você topa fazer parte desse programa...
Pelo menos fazer uma matéria e falar sobre alguma moto clássica que possui...

Você mora em São Paulo mesmo?

Aguardo uma resposta sua....

Ansiosamente

Rafaela Akkari


---xx---
 

Ola Rafaela

Obrigado por ter feito este contato. Atualmente moro em Bristol - Inglaterra e estou sem moto. De qualquer maneira continuo apaixonado mais do que nunca pelas motos classicas, sem deixar de apreciar as motos atuais.

No entanto, cheguei numa fase da vida em que pretendo ter uma moto classica: a minha proxima moto sera uma BMW, de preferencia dos anos setenta. Ja estou pesquisando sobre o assunto, e literalmente procurando uma para comprar.

Boa sorte com o seu programa.

Atenciosamente

Ricardo C. da Rocha Lima
34 Anos de Motociclismo
 


Ola Ricardo!!

Achei seu site nota 10, tambem sou um apreciador de motos, atualmente estou com uma CB 450 DX ano 90 super
nova. Ainda não tive a oportunidade de fazer belas viagens como vc mostrou, quem sabe um dia faço algumas
aventuras. Bom o objetivo do contato é elogia-lo pelo seu site e pela dedicação por motos.
Ps. tambem gostei muito do Opala 6cc do seu Pai.

um abraço!!

Marco Gandolfo
Bauru - SP

---xx---

Ola Marco

Muito obrigado pelas palavras elogiosas ao site.  Voce tem uma bela moto, a qual dentro de poucos anos fara parte das classsicas brasileiras, aproveite-a bastante.

O Opala era meu e nao de meu pai.  Meu pai teve um tambem branco, so que de quatro cilindros.  O meu era seis cilindros (motor laranja - 250 S).

Um forte abraco.

Ricardo C. da Rocha Lima
34 Anos de Motociclismo
 

---xx---
 

From : Ricardo Cruz
Sent : Wednesday, July 7, 2004 4:01 AM
Subject : "A Vida Começa aos 50cc"


Ricardo,


Achei casualmente a sua maravilhosa home page com os seus “34 Anos de Motociclismo” quando buscava, através do Google,
informação sobre a minha segunda moto a Yamaha F5A, 50cc, adquirida em zero KM em fevereiro de 1971 na extinta revenda
Cetemo, no Rio de Janeiro.

Aqueles não foram somente anos rebeldes no tocante a transfomação de hábitos e comportamento da sociedade brasileira mas
também, como você bem menciona, o resurgimento do motociclismo no Brasil. Recordo-me claramente do momento quando as
primeiras, e deslumbrantes, motos japonesas chegaram no Rio de Janeiro no final dos anos 60 causando um grande impacto no pessoal que gostava das duas rodas.

Estavamos deixando para trás as antigas lambretas/Vespas, Harleys e as motos inglesas com seus crônicos problemas mecânicos tais com: vazamento de óleo de motor/caixa de câmbio, de parte elétricas e entrando na era das motos de alta
tecnologia/performance e grande confiabilidade mecânica.

Podiamos viajar para longe ou trafegar nas cidade tanto a noite como durante o dia sem problemas pois tinhamos toda a
segunça e conforto proporcionada pricipalmente por alguns itens como: farol, luz traseira, luz verde indicando o ponto morto da caixa de marchas, pisca-pisca, luz de freio e espelho retovisor, entre outros.

Além da minha enequessível Yamaha cinquentinha F5A tive a oportunidade de possuir outras motos memoráveis entre elas cito
algumas de maior destaque tais como : CB 500 four, ano1972, adquirida zero KM, em S.Paulo na reveda Carmona diretamente com o Felipe Carmona (o pai, já falecido) e também a rainhas das motos japonesas da época a Honda CB 750 K2, ano 1974 adquirida, também, zero KM na extinta Moto-Jet, no Rio de janeiro.

Durante as suas narrativas sobre a vida vista através de uma moto fiz uma agradável viagem pelo tempo de minhas histórias e recordações. Também compartilho plenamente com você a opinião a respeito do ronco do motor da Honda CB 750 com o
escapamento tipo (4 em 4) como o mais bonito de todos os tempos. A Honda CB 750 foi apontada nos últimos 2/3 anos pelas mais importantes revistas especilizadas em motos da Europa e dos EUA com com a moto do século XX.

Falando no ronco do motor da Honda CB 750 tive a rara felicidade de ver e ouvir, em 1973, a Honda 750 Daytona, irmã gemea da que venceu a prova de Daytona em 1970.

Particularmente tive muita sorte de estar com o piloto Carlos Eduardo Zelinsk no primeiro monento que a “Daytona” rodou no Brasil, no antigo autódromo do Rio. Ele tentava se adaptar a Daytona poucos dias antes de participar das 200 milhas de Interlagos (prova que acontecia pelo anél externo do circuito de Interlagos).

Podiamos ouvir o barulho do motor da Daytona a uma enorme distância amplificado por quatro canos de escapamento (4 em 4)
pretos do tipo ultra-leve.

Incrível, também, era a marcha lenta da Daytona, ou melhor, a ausência dela. Como o belo conta-giros que iniciava a partir dos 4.000 RPM fica difícil imaginar a rotação exata da marcha lenta.

Para finalizar, a minha identicação com as suas memórias vai além dos nossos mais de 30 anos nas duas rodas mas, também, no permanente processo de adptação de vida de quem vive fora do Brasil como nós.
 


Receba o meu cordial abraço,


Ricardo Sampaio

---xx---

Meu caro xara Ricardo (para ser redundante de proposito)

Muito obrigado pelos elogios a pagina. Os seus comentarios e mencao dos fatos sao muito pertinentes, e eu os compartilho
integralmente. Em primeiro lugar porque voce tambem e possuidor de uma otima memoria, e faz dela o repositorio das boas
lembrancas (e isto e importante na vida), em segundo lugar porque voce escreve muito bem.

Em 1973 dei umas voltas numa CB 750 K1, com guidon manx, em Curitiba. A moto era bastante original, com o escapamento 4 em 4; a unica modificacao foi feita no guidon. Gostei demais da moto, ainda hoje guardo nitidamente o barulho do escapamento nas subidas de giro.

Em 1972 andei numa CB 500 (zero quilometro) em Brasilia, uma beleza de moto; tambem guardo ate hoje na memoria as sensacoes que tive ao pilotar a mesma.

Voce disse tudo ao descrever, naqueles anos rebeldes, as transformacoes que as motos japonesas nos proporcionaram, ao nos dar liberdade de movimento e acao com confiabilidade. Sou fa numero um delas.

Nao sei se deu para voce perceber em minhas paginas: com a Honda C-100 Dream eu revisitei todos os meus momentos da
cinquentinha (ate fiz uma quilometragem similar: 45.000 km na 50cc, e 48.000 km na Dream). Eu considero a Dream um icone
das motocicletas - principalmente por seu pequeno e compacto porte.

Ja com a Honda Twister eu pude experimentar um pouco de tudo que as outras minhas motos me proporcionaram (porte e cambio de seis marchas - CB 400; design inovador - CBX 200 Strada; economia comparavel a da Honda ML 125 - logicamente guardadas as proporcoes de potencia/cilindrada; motor com quatro valvulas, quadro em parte trelicado e com monochoque/balanca traseira - Kawasaki KLR 600; cilindrada - a mesma da minha Yamaha YDS 7). E vai por ai afora!

Gostei demais de seu e-mail. As circunstancias de momento me levam a ser apenas um apreciador das motocicletas. Tao logo
volte novamente a estar montado em uma moto atualizarei as minhas paginas.

Um forte abraco

Ricardo C. da Rocha Lima
34 Anos de Motociclismo
 


Ricardo,

Foi fantástico encontrar essas páginas tão bem feitas e com informações
valiosas.
Estava procurando sobre a Twister e tive a satisfação de ver um trabalho tão bem
feito e gostoso de ler.
Estou voltando ao mundo das motocicletas !
Tenho 51 anos e adquiri uma YBR E.
A 28/29 anos atrás tive uma CG 125 zero quilometro com a qual rodei 47000 Km e
fiz algumas boas viagens.
Fiquei esse tempo todo sem moto mas sempre gostei muito dessas máquinas.
Estou até pensando em trocar a Yamaha por uma Twister mais para o final do ano.

Um abraço e parabens.

Enio Vieira e Silva,

Poços de Caldas MG


Amigo,

pesquisando sobre a twister tive a grata satisfação de conhecer seu site e um pouco da sua (grande) paixão pelo motociclismo. Agradeço pelas informações que em muito irão me ajudar a optar pela twister em minha próxima compra. Parabéns pelo site, pela sinceridade em seus relatos com relação às motos e parabéns também pela motivação e coragem em residir em países tão diferentes daqui, mesmo sem abandonar a paixão pelas motos.

Álvaro Melo Bueno
Goiânia/GO


Prezado Xará Ricardo,

Li sua página na Internet, e achei muito interessante o relato de sua vida motociclística nestes 30 anos narrados por você.
Já corri de moto 50 cc no Autódromo de Goiânia na década de 70, e gostei muito da cidade.

Sou motociclista de São Paulo e minha história começou em 1972 com uma Suzuki 50 cc. Participei de competições com esta mesma Suzuki (inclusive está publicado no site Motos Clássicas 70 esta minha história sobre as corridas).

Tive outras motos de passeio ao longo destes anos: Yamaha RX125, Yamaha RDZ125, Yamaha RD350LC e Yamaha XT600.

Estou fazendo planos para comprar uma moto clássica dos anos 70, e achei linda a Yamaha YDS7 250 que você teve! Quem sabe eu encontro uma parecida com esta aqui em São Paulo, ainda rodando!

Parabéns pela sua Home Page e sucesso nos seus empreendimentos motociclísticos!!

Um abraço,
Ricardo Vieira Guimarães

----xx---

Ola Xara,

Muito obrigado pelos elogios.  So quem viveu o motociclismo da decada de70 - e dai em diante - pode compreender o que significava para nos todos ter
o prazer de possuir uma cinquentinha.  Foi o inicio da entrada das motos japonesas no Brasil, e tambem no resto do mundo.  Foi o inicio da ''globalizacao'' do motociclismo.

A YDS7 era excelente - para a tecnologia da epoca - faca forca para tentar encontrar uma a venda ai em SP.  E dificil de achar, pois foi um modelo pouco fabricado.  Ela tem um estilo proprio, alias inconfunfivel como todas as Yamahas da epoca.  O maior charme dela, na minha opiniao, reside em
tres pontos: freio dianteiro a tambor, pintura do tanque, com as gotas, e dois cilindros/dois escapamentos.

Um forte abraco,

Ricardo C. da Rocha Lima
34 Anos de Motociclismo
ricardorochalima@msn.com

----xx----

Caro Xará,

Antes de tudo, obrigado por ter respondido o meu e-mail.
Realmente ter vivido aqueles momentos nos anos dourados de 70 com as cinquentinhas (eu tinha 14 anos na ocasião) foi algo extraordinário,
inesquecível! É como eu digo para alguns amigos: O ideal na época era começar com as cinquentinhas e ir evoluindo nas cilindradas, passo à passo,
até chegar em uma Suzuki GT750 ou uma Honda CB750 Four (Eu não consegui chegar à tanto, mas valeu...)

Eu sou apaixonado pelas motos Japonesas, e tenho pesquisado bastante para conhecer outros modelos do início da década de 70 e até antes deste período,
concentrando a minha pesquisa nas marcas Yamaha, Suzuki e Honda.

Eu li na sua matéria que você mencionou o Kurt Feichtenberger, o Roberto Boettcher e o Edmar Ferreira. Eu conheci os três pilotos.
O Boettcher fêz algumas provas de 50 cc com Yamaha RD50 (quando as RD50 estavam surgindo para as pistas).
A Yamaha 125 do Kurt foi preparada durante uma época pelo Sarachú aqui em São Paulo. Eu corri pela equipe do Sarachú de Suzuki 50 cc.
Quanto ao Edmar, excelente piloto, que correu de TZ350 pela equipe Edgar Soares aqui de São Paulo, juntamente com o nosso estimado Jaracé (Carlos
Pavan).
Se você tiver contato com estes ilustres pilotos Goianos, mande um abraço deste saudoso motociclista.

Um grande abraço e até breve!

Ricardo Vieira Guimarães
São Paulo - SP
 


Parabéns pela sua bela história em cima de duas rodas, fico até com um pouco de inveja, de ver que tem pessoas, que não temem, aventuras, gostei muito de seu entusiasmo, gostaria de ter a metade de sua bagagem.Tenho a pretenção futuramente, na minha aposentadoria, de ter aventuras sobre duas rodas, com minha esposa, desbravando esse imenso pais. e reafirmo, parabéns pela sua pagina.

Eron./Curitiba.
 


Olá, Ricardo!

Me chamo Brian, moro em Governador Valadares -MG, tenho 33 anos.
Puxa vida! Há quatro anos eu procuro um site que fale sobre a Hondra Dream e só agora encontrei. Parabéns!... demorei também pra encontrar seu e-mail.....rs... não tem nehum link na página de motociclismo.
Eu tenho uma Dream 97/97, igualzinha a que está no site.
Lí bem rapidinho os relatos, mas vou ler novamente com calma. Gostei de sua iniciativa.
Eu procuro algum site, algum "clube" de amantes dessa grande motoclicleta.
Procuro também acessórios diferentes... você pode me informar?
Espero me corresponder mais com você.
Grato pela atenção!
Abraços!

brian
 


Moro no Rio de Janeiro e estou planejando uma viagem de Twister bem light, mas que irá do Rio até Bento Gonçalves na Serra Gaúcha. Aqui no Rio viajo muito de moto para a região dos lagos. São viagens curtas que não passam de 200 km e em boas estradas asfaltadas. Tenho a moto faz 1 ano, uma Twister verde 2003 que comprei zero e que está com 6.300 rodados, faz 2 semanas que fiz a revisão dos 6.000. O que vc vai ver abaixo é o meu projeto de primeira grande aventura de moto pelas estradas brasileiras. Adoraria receber a sua opinião a respeito e poder trocar umas idéias contigo. Achei o seu site simplesmente incrível e me será de grande utilidade nestes meses que estarei planejando a minha viagem. Um forte abraço do seu novo amigo.
 
Rodolfo Muanis
 
ps: colo abaixo o meu roteiro
ps2: o tempo estimado está calculado muito por alto, pois penso em ir com muita cautela.
 

Saudações Vivente;
   
Meu nome é Allisson e eu acho que encontrei um cara certo pra tirar umas dúvidas (se não for encomodo).
 
É q eu moro em Blumenau/SC á mais ou menos 20klm do centro da cidade, trabalho no centro e gosto de motos (apesar de não ter uma ainda) trabalhei muito tempo guardando grana pra adquirir uma, eu escolhi uma moto alta e de trilha, como sou um cara grande e alto acho que a XR Tornado 250 da Honda se encaicha bem ao perfil (assim posso pegar umas trilhas de vez enquanto). Oq eu gostaria de saber é: O motor da Tornado é bom ?? guenta paulera mesmo ?? quanto mais ou menos é o consumo dela (km/Ltr), pois se ela for muito gastadeira não vale a pena né.
 
Bom, se o Sr. puder responder acho que a gente pode trocar umas idéias sobre motos (assim q eu entender alguma coisa, é claro)
 
obrigado, um abraço !

Allisson Hercílio Rosa
Dep. Vendas
Grupo Letra Viva
 

Obrigado pela presteza com que me respondeu. Apenas uma questão: tendo em vista meu interesse um uso tanto pra faculdade quanto pra pequenas viagens, de ate 200km, seria razoável uma cg ou se eu comprar uma twister usada, mas em bom estado, estaria bom tbm? Pergunto isto pelo medo q de levar alguem na garupa da cg e a motinha nao aguentar. A twister, mesmo usada, seria uma boa opçao, ou moto usada não compensa??

Obrigado novamente.

Leonardo Motta

---xx---


Ola Leo

Obrigado por ter escrito para mim. Eu o aconselharia a comecar pela CG 150, a
qual e um modelo consagrado pela robustez, durabilidade, praticidade, etc.
E que agora vem com um motor mais ''incrementado'', com uma cilindrada um
pouco maior - foi de 125 para 150 cc - com virabrequim roletado, o que proporciona
maior desempenho com a mesma economia (praticamente).

Assim sendo voce se acostumaria com um veiculo de duas rodas, numa moto confiavel
e pratica. Depois disto voce partiria para realizar seu sonho de consumo, e na
hora oportuna para voce poderia comprar a Twister.

Um forte abraco

Ricardo C. da Rocha Lima
34 Anos de Motociclismo
ricardorochalima@msn.com

---xx---


From: "Leo Motta"
To: ricardorochalima@msn.com
Subject: twister: a melhor???
Date: Sat, 22 May 2004 15:39:05 -0300 (BRT)

Olá Ricardo,

pelo que percebi na parte de e-mail recebidos, a maioria trata de dúvidas pessoais.
Justamente por isso lhe escrevo sucintamente para esclarecer algums dúvidas. Tenho
quase nenhuma intimidade com motos, e nenhuma própria. Desejo uma Twister mas temo
que esta nao seja a melhor opçao por ora, visto que pela minha
inexperiencia, esta
sera inicialmente uma moto cara e "dura" de pilotar para um leigo, devido a sua
robustez, certo?

Para começar a criar intimidade, vocë acha uma Twiter opçao arriscada? Eh um sonho
de consumo mesmo, mas será que uma moto mais simples como a Cg150 nao estaria de
acordo com meus planos de uso no dia-a-dia e pequenas viagens de ate 130Km??

Vocë como entusiasta de Honda, como me aconselharia?

Grato desde já.

Abraço,
Leonardo

Recomendo o filme "Diários de Motocicleta" de Walter Salles.

 


Caro Ricardo,

Meu nome é Auri Cotias, sou de Feira de Santana na Bahia, tenho 25 anos. Estou praticamente começando a vida de motociclista tenho uma biz há 3 anos e estou no consórcio de uma Twister. Fiquei completamente maravilhado com o seu site quando buscava informações sobre a moto que estou adquirindo. É por sites como o seu que vejo como a internet pode ser muito boa. Todas as pessoas que sentem um mínimo que seja de atração por duas rodas, devem "invejar" (no bom sentido, é claro) a vida que o Sr teve na relação com as motos. Busco a resolução de uma dúvida sobre a Twister. Pode ser que o Sr já tenha respondido no site ou nas respostas dos e-mails, mas nao tenho muito tempo para lê-los, e na verdade, estou muito ansioso pela resposta, pois não tenho mais a quem recorrer. O problema é o seguinte:
A biz tem uma limitação quanto ao peso que ela pode carregar. O manual até especifica o peso em 150 kilos. Como sou muito pesado (tenho 110kg) e juntamente com a minha namorada alcançamos os 175 kilos, já dá para imaginar como anda cansada minha moto. Bate muito, fura muito o pneu, pois com roda de paleta tenho que encher muito o pneu e qualquer buraco, "belisca" a câmara. Nunca pude viajar, nem pequenas distâncias por causa dessa limitação.
A minha escolha da Twister se dá pelo grande porte que ela tem e pela motorização, mas a dúvida recai sobre a suspensão. Vi nas especificações da Honda que a suspensão traseira tem 100mm de curso e achei pouco. Também já li na sua viagem a MG que a suspensão traseira da moto não tem regulagem e que dava certos solavancos na garupa, então lhe pergunto: será que terei problemas semelhantes ao da biz ao andar na twister com a minha namorada, numa cidade com muito calçamento de paralelepípedo irregular?

Até mais, muito obrigado, mesmo sem resposta pois o site realmente é muito bom e vou lê-lo completamente.


Prezado Ricardo:

Foi com enorme prazer que eu encontrei o seu site na internet (Foi pelo cadê, procurando sites sobre CB-400).

Eu moro atualmente no Rio de Janeiro, onde sou assessor da Governadora Rosinha Garotinho, mas fui criado em Brasília, justamente na SQS 114 sul, e fui muito amigo dos seus primos Luisão e Marcio, e conheci os outros irmãos mais velhos da Plantel S/A.

Em 1972, eu comprei uma Honda CB-100, no Rio e levei para Brasília, onde ela fez muito sucesso lá. Foi a primeira moto com guidon "manks" em Brasília. Meu nome é Edmundo, mas uma amiga minha (a Marília Marreco da 114 sul) batizou a moto como "pururuca" e colocou uma fita rotex no farol com o nome da moto. As pessoas  viam escrito Pururuca no farol e começaram a me chamar de Pururuca, que é um apelido que me segue até hoje. Muitas pessoas em Brasília só me conhecem como Pururuca.

Diversas coisas que voce relatou no seu site, tais como o test-drive da Yamaha 650 no pelezão e as reuniões na Camber, eu presenciei. Navegar pelo seu site foi uma viagem pelo passado. Além disso voce cita diversas pessoas que eu conheço: Marcão Adrenalina ( que até hoje tem o mesmo cabelão, não mudou nada), Léo Faleiros ( o Léo do Opala Preto), que depois se casou com a miha amiga Consuelo Joffily, Alex Dias Ribeiro, Nelsinho Piquet, o baixinho (Roberto Pupo Moreno) etc.

Estou com 31 anos de habilitação em moto, e comprei recentemente uma CB-400 II, dourada com apenas 9.000 km rodados. Estava com os pneus Dunlop originais ainda, porém ressecados. Troquei a bateria, todos os cabos de comando e coloquei pneus Michelin da CBX-750, e a moto está nova. Em julho, fui do Rio à Porto Seguro na Bahia com ela, sem nenhum problema, e a uso diariamente para ir para o trabalho aqui no Rio (de carro é impossível andar).

Em relação a Caldas Novas, a minha pior viagem de moto foi de Brasília a Caldas Novas em uma CG-125, que era da empresa do meu cunhado, com baús laterais e parabrisa, sozinho e debaixo de chuva por todo o percurso. Eu passei 3 meses em Caldas, e o meu cunhado me emprestou a moto (que era serviço de estafeta da empresa) para eu não ficar a pé lá. Lá eu tirei o parabrisa e as bolsas, e até trilha eu fiz com ela. Fui até o topo da Serra de Caldas com ela.

Foi um prazer imenso, repito, navegar pelo seu site.

Vindo ao Rio de Janeiro, entre em contato para tomarmos um bom chopp.

Saudações, e um grande abraço para voce e sua família.

Edmundo Gonzaga


Respeitosos cumprimentos. Em final de Abril visitei demoradamente o seu site, ao navegar na net procurando elementos para recuperação de uma Honda C102 que tenho desde 1974.

Aguardei por este primeiro fim de semana de Maio para lhe desejar feliz saúde e parabéns pelos seus 33 anos de motociclismo. Parabéns, também, ao "Webmaster" Amyr pelo site. Felicidades para todos os familiares. Não consegui ouvir a "Canção" mas irei tentando.

Coimbra,02 de Maio de 2003

Eduardo Morais   -  Portugal.


Ricardo,

Parabéns pela excelente pagina, de vez em quando eu a vejo novamente, as musicas me levam para o passando, juntamente com seus comentários e as fotos das motos.

Pelo que entendi você não esta no Brasil, é pena pois até gostaria de conhece-lo pessoalmente, ainda mais que somos conterrâneos.Abraços e sucessos.

Goiânia, 07/06/2003.José de Deus.


Sr: Ricardo, primeiramente parabens por todos esses anos de experiencia no motociclismo, com uma historia maravilhosa e muito comovente,rica em detalhes e fatos da historia do brasil que me sensibilizou muito, e me fez passar horas navegando e curtindo cada momento nesse site tao bem elaborado. Meu nome é Paulo Mario Gomes tenho 38 anos,moro em SaoPaulo, e gosto muito de motos.

nao tenho essa experiencia vasta que o sr tem, mas o que me atraiu p/ ver esse site ,é porque eu tenho uma honda c 100 dream ano 98, e adoro a moto , acho  a moto + perfeita para os dias de hoje, em todos os detalhes que o sr ja mencionou, e por mais que eu queira vende-la, eu nao consigo me desfazer . Ela esta maravilhosamente conservada ,e eu fiz algumas inovaçoes que deram a moto muito mais charme e belaza. E o que tambem me chamou + atençao ainda ,é que eu estou pensando em adiquirir uma Honda twister, como o sr fez. e gostei muito dos detalhes tecnicos que o sr passou.

Bem para encurtar a historia, mais uma vez parabens pelo feito,o sr deveria ser destaque em muitas revistas de motociclismo,como;" Exemplo e Coragem".Gostaria muito de conhece-lo. Meu e-mail de contato é ... Um abraço e felicidades, e espero novas aventuras.

Caro amigo Ricardo, estou comprando uma Twister, sei pilotar + ou - uma motocicleta, como vai ser a minha primeira moto, a dias venho consultando na Internet sobre Twister, assim cheguei ate a sua historia (Muito interresante por sinal - Parabéns), gostaria de saber se você não pode me dar umas dicas de como amaciar o motor da minha motocicleta, visto que pelos seus relatos e uma das mais importantes etapas para a conservação e manutenção da moto, e também pelo consumo. Deste já agradeço a atenção dispensada. E um abraço e boa sorte em suas novas aventuras.

Douglas Joanes Cordova Guarapuava - Paraná.

 

Caro xará,Parabéns.

Muito interessante essa materialização do que você viveu e vive por/para/por 2 rodas.

Permito-me ler com mais atenção.

Ricardo Mello

 

Olá Ricardo,

Meu nome é Luiz, tenho 21 anos, e sou de Patos de Minas. Sou um motociclista muito pouco experiente, e procurando saber mais sobre a Honda Twister vi seu site. Gostei muito dos relatos, e cada vez mais me empolgo com a moto.

Na verdade estou na iminência de adquirir a minha, mas para isso terei que vender meu carro. Então, antes de começar a me corresponder com você, gostaria de saber se você pode me dar uns toques a respeito no assunto.

Obrigado pela atenção,

Até mais.Luiz.


Caro Ricardo,

Maravilhosa história sua e do motociclismo no Brasil.

Hoje tenho 40 anos e sempre fui fascinado por motos. O meu currículo é bem mais modesto que o seu mas muito me orgulho dele.Iniciei com uma CG 82 na época da faculdade, passei para uma XL 125 e depois para uma TXS 650 (essa era maravilhosa!).

Com o casamento deixei de ser motociclista.Mas sabe como é. Esse vício não deixa a gente em paz. É como aquele comichão que só pára após o contato com a moto.Dito e feito, estou adquirindo uma Twister.

Continue nos contando suas histórias.

Um abraço,

Ruy Koga


PARA: "Diogenes Calheiros,Sao Paulo,Informatica"
Assunto: Re: manual CB 400
Data: segunda-feira, 26 de agosto de 2002 07:42

manual CB 400

Olá Diógenes

Desculpe ter demorado a lhe responder. Estava "de cama" desde a última terça-feira, com uma virose "brabíssima". Agora já estou de volta ao batente.

Acesse o link a seguir: http://www.motosantigas.com.br/catalogos/index.htm , que é do excelente site Motos Antigas. Lá você certamente terá condições de encontrar o que procura.

Um forte abraço

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo

-------------xxxxx---------------

Boa tarde, Ricardo.

Vi seu site e vc como eu parece gostar muito de moto e sendo assim vamos ver se vc consegue me ajudar.

Adquiri uma CB 400 Tucunaré 84 e estou procurando um manual do proprietário e de manutenção. Vc tem idéia onde conseguir ? Já fiz vários contatos na Honda (SAC e concessionárias) e até agora não consegui nada.

Se vc puder me ajudar desde já agradeço.

Diógenes A Calheiros Antonio
 


De: "Ricardo C. da Rocha Lima"
PARA: "Riccardo Naman" <
Assunto: Re: moto twister 250
Data: segunda-feira, 26 de agosto de 2002 07:26

Olá Riccardo

Obrigado por ter acessado o nosso site. O fato dele ter sido útil a você nos deixa satisfeito.

Atenciosamente

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo

-------------xxxxx--------------


Valeu cara, eu to comprando uma Twister amanha e vc me ajudou muito com suas dicas.

valeu mesmo e obrigado e boa sorte.

Rick


De: "Ricardo C. da Rocha Lima"
PARA: "eder naresse" <e
Assunto: Re: amaciamento da twister
Data: terça-feira, 20 de agosto de 2002 07:51

Olá Eder

Não creio que aceleradas maiores, em pequenos trechos, vá prejudicar o
amaciamento de sua moto. No entanto, o ideal é que o motor vá sendo
gradativamente exigido à medida em que tenha maior quilometragem rodada.

Se você prestar atenção nos detalhes de amaciamento da minha moto, verá que
com 1.500 kms rodados eu a coloquei numa viagem maior (Goiânia - Belo
Horizonte - Goiânia, o que dá aproximadamente 1.800 kms no total) - levando
garupa e bagagem.

O que você deve ter cuidado é para proceder as trocas de óleo e revisões
iniciais exatamente como no manual. Tanto as acelerações quanto as freiadas
devem ser suaves. As acelerações devem ser feitas seguindo o conta-giros,
mas principalmente o seu ouvido, ou seja: quando o barulho "encorpar" você
joga a marcha seguinte, e nas desacelarações use o freio-motor junto com os
freios da moto propriamente ditos.

Assim agindo, com toda certeza, você terá um motor muito macio e econômico
após a revisão dos 6.000 kms. A minha moto está atualmente com 11.200 kms.
rodados. Está fazendo 33 km/litro na estrada (só com piloto - obtive esta
marca em 27/07/02 - fui e voltei a Brasília sozinho), e aproximadamente 30
km/litro com piloto e garupa (e bagagem), conforme pude constatar anteontem
e ontem - fui a Brasília no domingo e voltei ontem, meu filho de 17 anos foi
comigo na garupa; levamos uma sacola grande e cheia em cima do tanque da
moto. A corrente estava bem lubrificada, e eu não passei dos 110 km/hora -
na verdade me situo sempre na faixa dos 80 a 110 km/hora. Em breve terei
colocado as fotos no site.

Um forte abraço

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo
ricardorochalima@msn.com


P.S. Como tenho muitos anos de estrada, me especializei em fazer "média" de
velocidade ao invés de "simplesmente acelerar", para logo em seguida ter que
freiar atrás de um caminhão ou veículo lento, por exemplo. Assim consegui
fazer nos anos 80, três viagens de Curitiba a Goiânia (1.270 kms) de Honda
CB-400 com carga total (veja no site) sem garupa, em um dia de viagem. Ora,
considerando que temos que cruzar os estados do Paraná, São Paulo, parte de
Minas Gerais, e parte de Goiás, não é pouca coisa não. E isto, dentro dos
limites de velocidade das estradas. Eu acelerava mais em algumas retas de
trechos bem isolados e com pouco movimento.

---------xxxxxxx----------

Subject: amaciamento da twister


Ricardo meu nome e Eder sou de campinas sp, comprei
uma twister da mesma cor da sua, zero km. Com apenas
quarenta km rodados fiz uma pequena viagem ate serra
negra que fica a uns 70km daqui de campinas. Fui
sempre tentando manter uns 80km/h de velocidade a uns
5200 a 5500 rpm mas as vezes juntava umas carretas
escania na minha trazeira e com medo acelerava ate uns
100km/h a uns quase 7000 rpm. O que eu gostaria de
saber e se isto pode prejudicar o motor da moto? E
qual a quilometragem da sua moto em que você começou a
andar um pouco mais forte.

muito obrigado

 


De: "Ricardo C. da Rocha Lima"
PARA: "sihgo" <
Assunto: Re: MOTO SHOW GOIÂNIA
Data: quarta-feira, 14 de agosto de 2002 07:40

Meu caro Jorge

Conforme havia conversado com você em Brasília (no dia do Motociclista), eu me ofereci e já coloquei os banners do Moto Show Goiânia no meu site 30 Anos de Motociclismo.

Veja como ficou nos links: http://www.caldas.com.br/30anos/ e http://www.caldas.com.br/30anos/30anos.htm e http://www.caldas.com.br/30anos/atwister_tornado.htm .

Terei o máximo prazer em colocar um link do meu site para o site do Moto Show Goiânia, que vocês estão desenvolvendo, é só me dar o endereço quando o mesmo estiver disponível. Também entendo que no seu site você poderia colocar dois links, a saber: um direcionando ao meu - 30 Anos de Motociclismo (www.caldas.com.br/30anos), e outro ao Caldas Novas na Internet (www.caldas.com.br) - como uma referência turística.

Em tempo: por ocasião do último SuperMoto Show, do Zardini, eu tive um rápido encontro com ele. Naquela ocasião eu disse que tinha várias idéias para sugerir a ele, o que tornaria os próximos eventos que ele fizesse, simplesmente sensacionais. Ele não teve muito interesse em me ouvir. Então, eu agora proponho a você que nos encontremos qualquer dia destes para que eu possa explicar-lhe de que se trata. Caso você entenda que as idéias são viáveis, nós poderemos entrar em entendimento sobre elas.

Outra coisa: eu tenho contatos muito bons com dirigentes ligados à hotelaria em Goiás, também podemos conversar sobre isto.

No mais estou pronto para colaborar no que for preciso.

Um forte abraço

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo (que agora já são 32)

-----------xxxxx-----------------
Subject: MOTO SHOW GOIÂNIA


Prezado Ricardo,

Estaremos realizando nos dia 11,12 e 13 de outubro de 2002 o MOTO SHOW GOIÂNIA no Autódromo Internacional Ayrton Senna.

Sabemos que o seu site é muito visitado por internaltas de vários lugares, entretanto, se possível, gostaria que você fizesse divulgação do evento no mesmo.

Estamos confeccionado o site do MOTO SHOW com informações variadas, inclusive de turismo, caso queira colocar um link no nosso site entre em contato comigo ou com minha assessora Meire no telefone (62) 223.0831/223.3175 ou pelo e-mail: sihgo@cultura.com.br.


Desde já agradeço sua atenção.


Cordialmente,


José Jorge Badra
Coordenador MOTO SHOW GOIÂNIA


De: "Ricardo C. da Rocha Lima"
PARA: "Weder J. X. Rodrigues - PP2WV" <
Assunto: Re: Informações
Data: quarta-feira, 14 de agosto de 2002 16:02

Olá Weder

Entre em contato diretamente com o organizador do evento José Jorge Badra, ou com sua assessora Meire no telefone (62) 223.0831/223.3175 ou pelo e-mail: sihgo@cultura.com.br.


Cordialmente,

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo

-----------xxxx-----------
Subject: Informações


Lá colega,
 
Temos aqui em Planaltina-GO uma equipe de Moto Show, Como fazemos para ter
maiores informações sobre este evento que vai ter e Goiânia em Outubro?
 
 
Weder


De: "Ricardo C. da Rocha Lima"
PARA:
Assunto: Re: Parabéns!!!
Data: quinta-feira, 1 de agosto de 2002 08:49

Parabéns!!!

Olá Vasco

Muito obrigado pelas palavras elogiosas à nossa página.

A "camiseta de Português" a que me refiro, nada mais é do que uma camisa de malha sem mangas, normalmente usada por baixo da camisa normal. Ela preserva o calor do corpo, e proporciona mais conforto ao usuário em dias frios.

Um forte abraço aos irmãos Portugueses.

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo


--------------xxxx-------------
Subject: Parabéns!!!


descobri a sua página na Internet através do Motoclubevirtual de Portugal (WWW:motoclubevirtual.pt), e achei-a fabulosa.

Muitos parabéns pela sua obra.

PS: O que é uma camisola de português ? referida por si na sua página.

Abraço

Eng.º Vasco Pisco

Construtora Edifer

Qualidade - 214759032


Assunto: Re: parabens AMIGO
Data: segunda-feira, 22 de julho de 2002 09:57

Olá Edson

Obrigado pelas palavras elogiosas ao site. Fico feliz que tenha gostado das informações nele contidas.

Um forte abraço

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo

------------xxxxxxx-------------
Subject: parabens AMIGO

Ola amigo, não te conhecia ate antes de visitar seu site,
Parabéns pela excelente exposição de datas, motos e carros.
Realmente sensacional
abs.
Tchek-tche/piloto moto/brasil 76 campeão-125cc
 


De: "Ricardo C. da Rocha Lima"
PARA: "jeferson gomes"
Assunto: Re: Parabens Pelo Saite
Data: segunda-feira, 22 de julho de 2002 09:53

Olá Jeferson

Obrigado pelas palavras elogiosas ao site.

Embora esteja residindo em Goiânia, continuo ligado à cidade de Caldas Novas. Sendo assim, ao saber de algum evento ligado ao motociclismo naquela cidade, tentarei entrar em contato.

Um forte abraço

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo

----------xxxxxx-----------
 

Subject: Parabens Pelo Saite


Caro Ricardo,

Fiquei surpreso ao visitar o saite de voces, que maravilha de trabalho, tambem sou apaixonado por motos, deteste carros, moto e minha vida praticamente.

Moro em Uberlandia, a 8 meses, sou de IPAMERI, e sempre que pude, estive ai no encontro de motos, achava o maximo. Aqui tem umas maquinas que parecem ser de outro mundo, de tao magnificas que sao, fico pirado quando encontro uma pelas ruas.Mas a que eu quero ter, e que terei, e um Twister, ela e demais.

Fico contente por voce, e torço para que consigam muito sucesso com esse maravilhoso trabalho.

Um forte abraço

Jeferson

Obs. Gostaria, se possivel, ficar informado sobre os eventos que envolvam motos que ocorreram ai em Caldas,, se nao for pedir muito.
 


De: "Ricardo C. da Rocha Lima"
PARA: "Atendimento MOTO"
Assunto: Re: MOTO.com.br
Data: quarta-feira, 10 de julho de 2002 08:24

Olá

Atendendo ao convite abaixo, envio os dados para cadastro de nosso site.

30 Anos de Motociclismo
www.caldas.com.br/30anos

Um registro geral do motociclismo, na visão de um apaixonado por motos.

Atenciosamente

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo

--------------xxxxxxxx--------------

Subject: MOTO.com.br


Olá,

gostariamos de convida-los a se cadastrarem no site MOTO.com.br
Estamos em fase de lançamento do MOTOBUSCA, sistema de diretorio/busca para site relacionados a motos.
Temos atualmente mais de 25000 visitas por mes. Não percam !

Abraço,
MOTO.com.br
_______________________________________________
:: MOTO.com.br - o site de classificados de MOTO ::
Conheça o MOTOBUSCA: cadastre gratis sua loja, site ou serviço relacionado com MOTO.
atendimento@moto.com.br


Olá Jorge

Obrigado pelos elogios ao site.

Eu não tenho o referido diagrama elétrico que você precisa. Sugiro a você enviar um e-mail para André Felipe Machado da Revista dos Motoclubes (TechForce) - clubes@techforce.com.br e solicitar que ele divulgue o seu pedido de ajuda para encontrar o referido diagrama.

A ficha técnica da Turuna você encontra em http://www.geocities.com/webbike2000/honda/turuna.htm .

Um forte abraço

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo

----------xxxxxxx------------
Subject: por favor me ajude.

alô, Ricardo. Parabéns pelo seu site. Achei muito legal. Ricardo, amigo velho preciso de sua ajuda; pois tenho uma honda 125 cc ano 80 e estou com problemas na parte eletrica da mesma. E não posso no momento dispor de grana para pagar um eletricista e eu adoraria eu mesmo fazer esse serviço, pois tenho muito prazer de cuidar da minha moto. Ricardo, gostaria que você me mandasse se possível o diagrama elétrico da honda 125 Turuna ano 80 ou similar que atendesse a minha expectativa de manutenção na minha "paixão " certo de sua compreenção agradeço desde já. Meu nome: Jorge.
aguardo sua resposta com ansiedade.
Obrigado!

 


Olá Atila

Muito obrigado pelas palavras elogiosas ao site.

Espero que consiga finalizar bem o seu projeto. Segue em anexo o
questionário respondido.

Um forte abraço

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo

--------xxxxxx---------

Subject: Ola


Ola Ricardo,

Meu nome é Atila Daminelli, sou estudante de Design de Produto na PUCPR em
Curitiba.
Como estou no quarto ano, último, tenho que desenvolver um projeto de
graduação, e eu e mais dois colegas escolhemos desenvolver uma motocicleta
no estilo da Twister.
Procurando informações na internet encontrei seu site, o qual achei muito
interessante parabéns.
Bom, como parte da conceituação do projeto da nossa moto temos que fazer
uma
pesquisa para conseguirmos definir o perfil dos usuários da Twister e
descobrir algumas caracteristicas da moto. Para isso desenvolvemos um
questionario, e gostaria de saber se você poderia respondê-lo.
Estou enviando anexado nesta mensagem o questioário para, se possível, ser
respondido.

Muito obrigado!!
Atila Daminelli


PARA: "Daniel Alesse" <
Assunto: Re: motociclismo
Data: segunda-feira, 3 de junho de 2002 09:35

Olá Daniel

Muito obrigado pelas palavras elogiosas ao site. Outras pessoas como você o tem acessado e feitos comentários bastante positivos. Vemos que conseguimos transmitir algo de interessante e útil, e que nada mais é do que a nossa história de estreita ligação com o motociclismo (e que já completou 32 anos agora em Maio).

Quanto à sua viagem a São Francisco do Sul você pode sim ir sozinho, se este for o caso. Vá com segurança, tranquilo e com os cuidados normais de qualquer viagem.

Divida os 1.200 kms em dois dias de viagem: saia de Uberlândia bem cedo e escolha uma cidade no norte do Paraná para dormir (talvez Castro ??). Planeje a sua viagem para chegar no local de dormir, no máximo às 18:00 hs. (antes de escurecer). Lembre das dicas no meu site: o período da manhã normalmente rende mais do que a tarde.

No dia seguinte, levante bem cedo, tome um bom café da manhã e complete o seu percurso até São Francisco do Sul. Tome cuidado com as entradas/saídas em grandes cidades como Curitiba, por exemplo. Cuidado e atenção também ao cruzar as cidades. Atenção redobrada para lombadas (verdadeiras e eletrônicas) e possíveis obras rodoviárias (manutenção e duplicação de pistas).

Lubrifique a corrente da moto de 500 em 500 kms aproximadamente, conforme segue: "Para lubrificação da corrente, tornando-a mais macia e produzindo menos barulho na relação use uma mistura de óleo 90 com um tubo de Bardahl G/A (para câmbios e diferenciais). Prepare um vidro vazio de azeitonas ou coisa similar, daqueles com tampa metálica de rosca, de 500 ml com esta mistura, e vá enchendo quando necessário um pequeno recipiente vazio de maionnese Helman's, aqueles com bico retrátil, ou mesmo um recipiente destes de adoçantes com a mistura para aplicar na parte interna da corrente. Como não coloquei cavalete central na minha moto, eu aplico a mistura num pedaço da parte interna da corrente, movimento a moto um pouco, e aplico na outra metade interna da corrente. Depois, com muito cuidado para não derrubar a moto, inclino a mesma livrando a roda traseira do chão e rodando-a para espalhar melhor a mistura na corrente. Limpe o excesso de óleo (só da parte externa da corrente). Repita este procedimento em intervalos de aproximadamente 500 km rodados.

Outra coisa: calibre os pneus de sua moto com nitrogênio. Eles esquentam menos, e a calibragem permanece por mais tempo".

Use gasolina aditivada, de boa procedência, de preferência em postos que garantem a qualidade do combustível que vendem.

No mais use o bom senso.

Um forte abraço

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo


----- Original Message -----

Subject: motociclismo


Olá, meu nome é Daniel sou de Uberlândia MG,
Venho atraves deste e-mail elogiar esta pagina sobre
seus 30 anos de motociclimo,tenho 21 anos, sou um
apaixonado por motos tambem,e estava procurando alguma
pagina que me falasse sobre aventuras de motos e dicas
de viagens, e realmente esta pagina me surpreendeu, é
tudo que eu estava procurando, gosto muito de viajar
de moto, so que sempre fiz viagens pequenas de no
maximo 150km, tenho um cg 125 ano 99, e estou pensando
em comprar um twister agora em agosto para poder fazer
viajens mais longas, seus elogios sobre essa moto esta
me convencendo mais ainda para compra-lá, realmente se
trata de uma moto muito boa para fazer viajens longas,
estou querendo ir pra cidade de Sao francisco do sul
em santa catarina assim que eu comprar essa twister,
so que pelo jeito vou ter que ir sozinho, ja que meus
amigos nao gostam muito de motos, e conseguir
companhia pra fazer essas viajens é um pouco dificil,
pela sua larga experiencia vc aconselha eu a fazer
esta viajen de 1.200km sozinho? posso ir sem
problemas?
mais uma vez obrigado pela sua pagina, que me deu
muitas dicas de viajens, e me emocionou com suas
grandes aventuras em motos, que um dia eu tambem quero
viver...
espero que possamos nos tornar grandes amigos, e que
continuemos trocando informacoes sobre motociclismo,
valeu Ricardo...
um abraço, de mais um amigo...
 


PARA: "Erico Bastos"
Assunto: Re: site
Data: terça-feira, 28 de maio de 2002 07:55

Olá Érico

Em primeiro lugar muito obrigado por ter acessado o nosso site, fico feliz que tenha gostado e que o mesmo tenha sido interessante e útil para você.

A Twister, na minha opinião, se encaixa num nicho muito particular de motos de sucesso: ela é efetivamente um clássico da Honda, e vai marcar época! O tempo se encarregará de confirmar isto. Ela reúne todas as características possíveis numa moto, para quem entende e gosta de motos: porte, presença, beleza, desempenho, tecnologia de ponta, autonomia e detalhes mecânicos importantes (quatro válvulas num motor DOHC, radiador de óleo, seis marchas, escapamento muito bem dimensionado, suspensão perfeita - embora o ProLink da traseira pudesse vir com duas opções de regulagem, pneus/rodas impecáveis, etc.).

Esta moto bem amaciada, deverá rodar uns 100.000 km sem "mexer" no motor. É fundamental que se use sempre gasolina aditivada e de boa procedência, e não negligenciar nas trocas de óleo/filtro e revisões. Lembre-se que rodei 48.000 km na minha C-100 Dream, fazendo exatamente isto e a vendi como moto nova (o preço de mercado era na época R$ 1.800,00 e eu a vendi por R$ 2.100,00).

Em calçamentos de paralelepípedo, ou em ruas com o asfalto irregular, a parte de trás do banco da moto fica trepidando e batendo na rabeta. Resolvi o problema na semana passada (a exemplo do que havia feito na minha CB 400). Corte dois pequenos pedaços de espuma de uns três centímetros de espessura, e semi-rígida, e os coloque no espaço existente debaixo dos dois apoiadores de borracha presos na parte de baixo da traseira do banco. O banco ao ser fechado fará com que os apoiadores se apóiem nos pedaços de espuma que estarão no vão perto da treliça do quadro da moto. A espuma vai exercer pressão para cima, e aí o banco para de fazer barulho, nos "retornos" da supensão após passar em bacadas.

Para lubrificação da corrente, tornando-a mais macia e produzindo menos barulho na relação use uma mistura de óleo 90 com um tubo de Bardahl G/A (para câmbios e diferenciais). Prepare um vidro vazio de azeitonas ou coisa similar, daqueles com tampa metálica de rosca, de 500 ml com esta mistura, e vá enchendo quando necessário um pequeno recipiente vazio de maionnese Helman's, aqueles com bico retrátil, ou mesmo um recipiente destes de adoçantes com a mistura para aplicar na parte interna da corrente. Como não coloquei cavalete central na minha moto, eu aplico a mistura num pedaço da parte interna da corrente, movimento a moto um pouco, e aplico na outra metade interna da corrente. Depois, com muito cuidado para não derrubar a moto, inclino a mesma livrando a roda traseira do chão e rodando-a para espalhar melhor a mistura na corrente. Limpe o excesso de óleo (só da parte externa da corrente). Repita este procedimento em intervalos de aproximadamente 500 km rodados.

Outra coisa: calibre os pneus de sua moto com nitrogênio. Eles esquentam menos, e a calibragem permanece por mais tempo.

Vejo que a sua moto está bem econômica, isto é muito bom! A minha já está com 7.180 km rodados.

Espero que as dicas o ajudem a manter a sua moto em ótimo estado de conservação, e que você a aproveite bastante.

Um forte abraço

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo

----------xxxx------------

Subject: site


Ricardo,

estou no momento visitando seu site e vendo como todas historias de motociclistas sao parecidas...
eu mesmo atualmente com quase 21 anos, comecei minha vida de motociclista com 11 na epoca tinha um ciclomotor Tchau, da agrale... logo apos ja com 14 comprei um scooter sundown 50cc, motor 2 tempos o qual rodei ate os 17 anos, e vendi ele com 9300kms!
Ate esse momento eu nao havia tido nenhuma moto 4 tempos, bom havia chegado a hora, entao me decidi a comprar uma Biz isso em marco de 99, moto muito boa tenho ela ate hoje com 10500kms, nunca me deu problemas e sempre me agradou bastante sendo super economica como me lembrando bastante a sua Dream... ja que a biz veio para substituila...
E agora dia 24 de Abril de 2002 com 20 anos, acabo de comprar minha Twister (minha 4º moto 0km), e como vejo voce tambem eh um admirador dessa moto... tenho ela a 1 mes e pouco, e hj completou 1000kms, e levei ela para revisao! tudo nos conforme.... revisada e trocado o filtro e o oleo! :)) estou amaciando ela como manda o manual, ou seja ate os 1000kms nao passei de 5.000rpm... agora tenho que ir ate 1.600kms sem passar dos 7.000rpm, claro que variando bastante a rotacao para um melhor amaciamento...
fiz ja duas medias, a primeira media de cidade e estrada (meio a meio) ela vez 33,5km/l e a segunda media fez 30,9km/l
estou gostando muito da moto, e vejo que voce tambem! qts kms ja esta a sua moto? alguma novidade que ela apresentou?
bom... espero seu contato

Érico Bastos
Pelotas - Rio Grande do Sul
 


PARA: "HelioVilela" <
Assunto: Manutenção da Twister.
Data: terça-feira, 21 de maio de 2002 09:37

Bom dia Hélio

Eu faço todas as revisões na revenda MotoFor (uma das autorizadas Honda de Goiânia). Só um mecânico mexe em minha moto, é o amigo Odilon (presente nas páginas da Honda Dream), aliás todos na revenda sabem disto. Eu já o conheço há vinte anos. Antes era o meu amigo Mauro, que hoje é piloto de aviões; além de ter sido companheiro de grandes viagens pelo Brasil, o Mauro era piloto de corridas e trabalhava na época na revenda Cical Honda aqui em Goiânia (foi mecânico da minha ML e da CB 400).

As primeiras revisões (três ou quatro primeiras) eu faço rigorosamente como manda o Manual do Proprietário. Depois eu vou fazendo a manutenção geral, atentando para todos os ítens importantes, e levo a moto para revisão quando completo números "redondos", por exemplo: nos 10.000 kms, 20.000 kms, 30.000 kms, etc. Veja as páginas da Dream, que lá eu explico isto em detalhes. No entanto, no cotidiano eu fico constantemente atento aos detalhes de parte elétrica (lâmpadas, bateria, etc.), calibragem dos pneus, lubrificação e regulagem da corrente, etc.

Para quem, como você, entende mais de mecânica e possui as ferramentas próprias é interessante fazer a manutenção por si próprio. Embora certos tipos de serviço, só sejam possíveis dentro de uma concessionária (por causa dos recursos: ferramentas específicas, peças, etc.)

Para conseguir o Manual de Manutenção eu acho que a solução é aquela que você mencionou: cópia xerox.

As informações que disponibilizo em meu site são fornecidas espontâneamente, e de bom grado. Não espero retorno por isto, a não ser a amizade e o retorno de pessoas que como você me enviam e-mails. Logicamente se meu trabalho for um dia reconhecido pela Honda eu vou achar bom. Mas é só isto!

Um forte abraço

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo

----- Original Message -----
From: HelioVilela
To: Ricardo C. da Rocha Lima
Sent: Tuesday, May 21, 2002 8:26 AM
Subject: Re: Sobre a Twister e outros assuntos.


Oi, Ricardo,

Puxa, muitíssimo obrigado pelas excelentes informações e dicas. Pode saber que elas serão seguidas à risca. Tem um posto pertinho lá de casa que tem nitrogênio. Isso será fácil. A parte da corrente, foi muito importante. Vou providenciar logo, já que hoje completa uma semana que estou com a moto e já rodei 240 kmAssim, antes dos 500 km vou ter a mistura pronta.
Vou dar uma chegada na autorizada Motocity, onde comprei a moto, e pedir que vejam o barulho das pastilhas. Sei que são elas porque quando aperto levemente o freio dianteiro o barulho acaba por completo.
No fim de semana dei uma passadinha por seu site para ver se tinha a continuação prometida e encontrei a parte da Tornado.
Uma pergunta a mais: você mesmo faz a manutenção depois que sai da garantia ou manda numa concessionária? Nos velhos tempos eu fazia toda a manutenção das Lambretas e Vespas. Moto, quando tive, faltava o tempo. Dentro de alguns anos me aposento e acho que seria uma boa coisa como hobby. Por falar nisso, sabe onde eu conseguiria um manual de serviço para a Twister? Imagino que terá que ser Xerox do manual de alguma concessionária, porque a Honda não deve disponibilizar isso para usuários.

Rapaz, mantenha o site caprichado como está. Suas informações são práticas e muito úteis para não só donos de Twister mas para outros usuários também. Pena que a Honda não perceba o quanto isso vale para a marca.

Um abraço

Hélio
----- Original Message -----
From: Ricardo C. da Rocha Lima
To: Hélio Vilela
Sent: Monday, May 20, 2002 8:43 AM
Subject: Sobre a Twister e outros assuntos.


Bom dia Hélio,

Então vamos lá:

Em primeiro lugar muito obrigado por ter acessado o nosso site, fico feliz que tenha gostado e que o mesmo tenha sido interessante e útil para você.

A Twister, na minha opinião, se encaixa num nicho muito particular de motos de sucesso: ela é efetivamente um clássico da Honda, e vai marcar época! O tempo se encarregará de confirmar isto. Ela reúne todas as características possíveis numa moto, para quem entende e gosta de motos: porte, presença, beleza, desempenho, tecnologia de ponta, autonomia e detalhes mecânicos importantes (quatro válvulas num motor DOHC, radiador de óleo, seis marchas, escapamento muito bem dimensionado, suspensão perfeita - embora o ProLink da traseira pudesse vir com duas opções de regulagem, pneus/rodas impecáveis, etc.).

Esta moto bem amaciada, deverá rodar uns 100.000 km sem "mexer" no motor. É fundamental que se use sempre gasolina aditivada e de boa procedência, e não negligenciar nas trocas de óleo/filtro e revisões. Lembre-se que rodei 48.000 km na minha C-100 Dream, fazendo exatamente isto e a vendi como moto nova (o preço de mercado era na época R$ 1.800,00 e eu a vendi por R$ 2.100,00).

O barulho que ocorre ao desligarmos o motor é normal, a minha também faz; a minha CB 400 1980 também fazia (nesta eu rodei 65.000 km sem mexer no motor). As pastilhas de freio na minha Twister não fazem barulho algum, nem mesmo em estradas de terra com "costelas de vaca".

Em calçamentos de paralelepípedo, como em algumas ruas aí de BH, a parte de trás do banco da moto fica trepidando e batendo na rabeta. Resolvi o problema ontem (a exemplo do que havia feito na minha CB 400). Corte dois pequenos pedaços de espuma de uns três centímetros de espessura, e semi-rígida, e os coloque no espaço existente debaixo dos dois apoiadores de borracha presos na parte de baixo da traseira do banco. O banco ao ser fechado fará com que os apoiadores se apóiem nos pedaços de espuma que estarão no vão perto da treliça do quadro da moto. A espuma vai exercer pressão para cima, e aí o banco para de fazer barulho, nos "retornos" da supensão após passar em bacadas.

Para lubrificação da corrente, tornando-a mais macia e produzindo menos barulho na relação use uma mistura de óleo 90 com um tubo de Bardahl G/A (para câmbios e diferenciais). Prepare um vidro vazio de azeitonas ou coisa similar, daqueles com tampa metálica de rosca, de 500 ml com esta mistura, e vá enchendo quando necessário um pequeno recipiente vazio de maionnese Helmann's, aqueles com bico retrátil, ou mesmo um recipiente de colírio Moura Brasil com a mistura para aplicar na parte interna da corrente. Como não coloquei cavalete central na minha moto, eu aplico a mistura num pedaço da parte interna da corrente, movimento a moto um pouco, e aplico na outra metade interna da corrente. Depois, com muito cuidado para não derrubar a moto, inclino a mesma livrando a roda traseira do chão e rodando-a para espalhar melhor a mistura na corrente. Limpe o excesso de óleo (só da parte externa da corrente). Repita este procedimento em intervalos de aproximadamente 500 km rodados.

Outra coisa: calibre os pneus de sua moto com nitrogênio. Eles esquentam menos, e a calibragem permanece por mais tempo.

A Honda nunca me deu nada, nem mesmo um patrocínio para viagens que solicitei para a C-100 Dream. A única coisa que ela me proporcionou foi o prazer de dirigir suas motos nestes anos todos. Mas isto eu paguei do meu bolso, não é mesmo? Já tendo tido as três marcas japonesas (Yamaha, Honda e Kawasaki), e andado bastante na scooter Suzuki da minha esposa, posso dizer que sou fã e extremamente fiel à Honda.

Continue um motociclista nos seus 57 anos e para a frente, eu tenho 50 (completo os 51 no final de setembro) e pretendo ser motociclista por muitos e muitos anos ainda.

Um forte abraço

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo

P.S. Na última sexta-feira incluí mais uma página à seção da Twister: www.caldas.com.br/30anos/atwister_tornado.htm , você já viu a mesma?


PARA: "Edson Camargo" <e
Assunto: Re: CB 450 1985
Data: terça-feira, 30 de abril de 2002 09:01

Olá Edy Wilson

Obrigado pelo elogio ao site 30 Anos de Motociclismo (os quais na realidade já serão 32 anos agora em Maio/02).

Eu gostava muito da minha CB 400, embora deva admitir que se compararmos aos modelos de hoje - à Twister por exemplo - notamos um flagrante desenvolvimento tecnológico da última em relação à primeira. Eu particularmente estou maravilhado com a minha Twister. O fato é que as CB 400 e CB 450 marcaram época: são bonitas, eu diria quase "clássicas" em se considerando Hondas "brasileiras". Além disto são robustas, confortáveis, confiáveis, etc. Eu era "apaixonado" pela minha CB 400, a qual me deu muita satisfação durante nove anos e meio.

Alguns detalhes, no entanto, devem ser observados: as agulhas do carburador costumam enferrujar e dificultar a regulagem dos mesmos, aí só mesmo a substituição delas e um acerto de carburação feito por mecânico experiente mesmo. Outra coisa: são motos não tão econômicas quanto a gente deseja. O máximo que consegui com a minha CB 400 - na época dela nova - foi 21 km/litro, o normal era fazer 18 km/litro. A minha Twister já está fazendo 30 km/litro, sendo dirigida exatamente como dirigia a minha CB 400, e nas mesmas condições de tráfego. E olha que agora é que estou chegando nos 6.000 kms. rodados na Twister.

Mas apesar de tudo, eu ainda gosto muito das CBs, e não tenho nenhuma reclamação ou preconceito contra elas. Se a moto que você quer comprar está "inteira" mesmo, compre que você não vai se arrepender.

Um abraço

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo


----- Original Message -----
Subject: CB 450 1985


Caro Ricardo

Parabéns por sua bela página e pelos seus 30 anos de "duas rodas".
Gostaria de saber sua opinião sobre a CB 450 1985, pois encontrei uma em bom
estado com 23.000 Km originais e estou interessado em compra-la.
Já tive várias motos, inclusive uma CB 400 82 da qual gostava muito. Sei que
há um certo "preconceito" quanto as primeiras honda de fabricação nacional.
Baseado em sua experiência, há alguma razão para tal fato ou pode-se dizer
que as "CB's" brasileiras se equiparam as "CB's" japonesas.
 
Aguardo sua resposta e desde já agradeço.

Abraços
Edy Wilson
 


PARA: "Fabricio Menicucci" <
Assunto: Tombos e outros.
Data: quarta-feira, 24 de abril de 2002 07:29

Olá Fabrício

O nosso site é atualizado com frequência. Sempre que realizo alguma viagem, ou mesmo quando tenho novos dados interessantes sobre a minha moto atual eu os divulgo.

Tombos já levei alguns, mas felizmente sem gravidade, a saber: um na minha cinquentinha, quando eu morava em Brasília, foi numa "tesoura" de acesso/retorno em um viaduto; escorreguei no cascalho/areia ajuntados pela chuva. Caí de peito no chão, e o o blusão Lee que usava no momento teve os botões metálicos amassados e entortados.

O segundo tombo foi numa madrugada em que eu saía de Brasília rumo a Goiânia, na minha Yamaha YDS7 (250 cc). Fiz uma curva a 30 km/hora em cima de uma poça de óleo diesel, deixada pelos ônibus que passavam por ali. A moto simplesmente "saiu debaixo de mim". Felizmente, só houve o susto. Talvez mais algum tombo mínimo sem nenhuma importância ou gravidade possam ser aí acrescentados.

É isso aí!

Um abraço


Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo

----- Original Message -----
From: Fabricio Menicucci
To: Ricardo C. da Rocha Lima
Sent: Tuesday, April 24, 2007 12:10 AM
Subject: RES: parabéns


É isso aí camarada... pretendes atualizar sempre vosso site?
Gostei muito das informações que colocastes na página... aliás, que memória, que detalhes hein? Gostei das histórias. Inclusive nunca tinha ouvido falar de amaciamento de motores, achei muito legal, não sei se entendi direito pra amaciar minha nova moto mas vou tentar.
Tenho uma perguntinha a fazer... e os tombos? Já tomou muitos? algum acidente grave?
Espero realmente em breve ter histórias de viagens pra contar...
Grande abraço, obrigado pela resposta.
Fabricio Menicucci


PARA: "motoca-cwb" <
Assunto: Re: malas
Data: terça-feira, 23 de abril de 2002 07:57

Olá Wilson

Muito obrigado pelas palavras elogiosas ao nosso site.

Infelizmente não conheço nenhum fabricante de malas/bolsas laterais para motos, a não ser os grandes como Givi, Nonfango e similares. Antigamente a Caramori também fabricava umas bolsas laterais, mas eram em fibra de vidro, se não me engano (do tipo daquelas usadas pelas CB 400 e CB 450 das Polícias Militares dos Estados). Além de serem pequenas, pesavam e "batiam" muito quando a moto passava em piso irregular.

Quanto a bolsas de couro e nylon ou similares, existem vários fabricantes no Brasil. Mas os produtos são mais no estilo alforjes, do que bolsas propriamente ditas.

Na época em que adquiri o meu conjunto de bolsas (1982), o fiz na Itália (numa loja chamada Provini, em Milão). Era o modelo específico para a CB 400 N - o modelo europeu da CB 400. Com mínimas adaptações nos pequenos suportes em L que se fixavam no suporte de placa da moto, montei o conjunto que ficou perfeito. Efetivamente, fui o primeiro do Brasil a ter tal equipamento numa CB 400 pelo que pude constatar na ocasião, em viagens que fiz a Curitiba, São Paulo e Belo Horizonte, com a minha moto.

Um forte abraço e boa sorte na sua busca pelo equipamento.

Ricardo C. da Rocha Lima
30 Anos de Motociclismo


----- Original Message -----
 

Sent: Monday, April 22, 2002 3:14 PM
Subject: malas


Ricardo,
parabéns pelo site, muito bom mesmo!!!
Meu nome é Wilson, moro em Curitiba e tenho uma CB450, gostaria
de saber se você conhece alguma loja que tenha aquelas malas
laterais, parecida com as que você tinha na sua CB, para vender,
procurei aqui em Curitiba e só encontrei uma modelo Givi com um
preço bem salgado e ainda não tinha o suporte para fixação na CB.
Aguardo resposta
Obrigado e um grande abraço
 
Wilson
 
 
 __________________________________________________________________________

Obs.: Omitimos intencionalmente os endereços eletrônicos (e-mails) das mensagens aqui citadas para garantir a privacidade dos remetentes.

Retorna ao nosso site:  www.caldas.com.br/30anos

Outras mensagens: www.caldas.com.br/30anos/alguns_emails_II.htm