Honda C-100
Dream
   
Honda CBX 250
Twister
     
 Motos Raras
& Clássicas
Sundown Hunter 90 Sundown STX
Motard
Yamaha Ténéré 250
     Mapa do site

Bookmark and Share

English

Viajando com a Honda CBX 250 Twister:

Eu e Theresa não víamos a hora de logo chegar o sábado (08/12/2001).  Ficou combinado que faríamos uma pequena viagem de aproximadamente 290 km.  Iríamos à cidade de Goiás - a antiga capital do Estado - cidade recentemente alçada à condição de Patrimônio Histórico da Humanidade, e retornaríamos no mesmo dia à tarde.  O título definitivo será entregue neste próximo fim-de-semana (13/12/2001) em Helsinque - Finlândia.

A viagem transcorreu tranquila, fiz questão de usar bastante o câmbio da moto, alternando acelerações e reduzidas para um amaciamento mais adequado do motor.

Parada para lanche na Lanchonete Brittos, na manhã de 08/12/01, em Itauçu - GO.

Parada para lanche na Lanchonete Brittos, na manhã de 08/12/01, em Itauçu - GO.

Uma parada para lanche em Itauçu - na Lanchonete Brittos - e em seguida mais estrada.  Rodamos todo o percurso de ida sem chuva.  Na volta viemos a pegar chuva intensa no trecho que vai de Goianira a Goiânia, o que contribuiu para sujar muito a moto (a rodovia está sendo duplicada neste trecho, e as obras ainda não terminaram).

Logo na entrada da cidade de Goiás (a antiga capital do Estado, que também já se chamou Vila Boa de Goiás) fiz questão de tirar umas fotos junto à casa que foi construída pelo meu avô no início dos anos 30.  Mais precisamente em 1932/1933; esta é uma bonita casa com um estilo inconfundível e muito moderna para aquela época.  Foi a primeira casa da cidade a ter o banheiro - com toalete completo - dentro de casa.  Naquela época o banheiro ficava situado fora de casa, em compartimento independente, e era por muitos chamado de "casinha", justamente por ser "uma casa menor" fora da casa principal.

Theresa e a Twister, ao fundo a casa construída por meu avô paterno - Irom da Rocha Lima - por volta de 1932.

Theresa e a Twister, ao fundo a casa construída por meu avô paterno - Iron da Rocha Lima - por volta de 1930.

Meu avô fez esta casa com muito empenho, para ele residir com a família (esposa e cinco filhos, dentre eles o meu pai).  Todo o madeiramento, telhas e tijolos foram produzidos em serraria e olaria próprios; ou seja, o meu avô montou uma serraria e uma olaria para produzir/preparar todo o material necessário à construção.   O quintal da casa (hoje todo loteado e com várias casas construídas) tinha um alqueire goiano (48.400 m2) de área.  Com a mudança da capital do Estado - de Goiás para Goiânia - e a vinda de meus avós para esta última cidade fizeram com que a casa fosse vendida, já que meu avô fora convidado para implantar e ser o primeiro diretor do colégio Lyceu de Goiânia (em 1937), pelo então Interventor (Governador) do Estado, Dr. Pedro Ludovico Teixeira, fundador de Goiânia e amigo particular de meu avô.

Vista frontal da casa que pertenceu ao meu avô Irom.

Vista frontal da casa que pertenceu ao meu avô Iron.

Esta casa hoje pertence à Sra. Inês Lobo.  Cada vez que vou à cidade de Goiás e por lá passo me lembro de meu avô e de suas histórias sobre a sua Harley Davidson 1928.

A Twister tem vários pontos fortes, um deles é o seu farol (com estrutura interna em policarbonato) que produz uma luminosidade intensa; mesmo apagado, com um simples reflexo do sol, como é o caso da foto abaixo, podemos notar este detalhe.

Vista frontal da Twister; o brilho intenso do farol é um mero reflexo do sol, pois o mesmo está apagado.

Vista frontal da Twister; o brilho intenso do farol é um mero reflexo do sol, pois o mesmo está apagado.

Até agora esta moto tem sido totalmente do meu agrado, principalmente pelo seu porte, ciclística e características mecânicas e técnicas.   Além do seu design primoroso que a torna bonita em qualquer ângulo, e de qualquer lado que seja olhada.

A Twister na Praça T-29 em Goiânia - GO, na tarde do dia 09/12/01.  Estilo inconfundível.

Foto da Honda CBX 250 Twister na Praça T-29 em Goiânia - GO, na tarde do dia 09/12/01. Estilo inconfundível.

No dia 13/12/2001 fiz a revisão dos 1.000 km.  O odômetro marcava 945 km rodados.  Trocado o óleo do motor e o filtro de óleo, e realizados todos os procedimentos de praxe da primeira revisão pelo amigo Odilon (mecânico especializado da revenda MotoFor), pegamos a moto e notamos uma melhoria no funcionamento geral do motor.  O mesmo está mais macio, e como em todas as outras motos 0 km que já tive, noto que cumpri muito bem a primeira etapa do amaciamento.   A título de informação: o custo desta revisão foi de R$ 33,00 (trinta e tres reais).

No dia 18/12/2001 atendi ao recall da Honda - o qual soube por acaso através de meu irmão, e confirmei por pesquisas na Internet e na revenda MotoFor - para checagem da medida da bucha separadora do suporte da balança traseira.   Felizmente a da minha moto estava no padrão exigido/determinado pela Honda.   Isto me tranquilizou bastante, pois espero viajar nela na próxima semana.

A segunda etapa será uma viagem um pouco mais longa do que a que fiz até agora: pretendo ir com Theresa a Belo Horizonte no final do ano.

Mais Twister...